0

Boateng diz que futebol sem negros seria 'entediante' e lembra de quando deixou o gramado após racismo

Atleta afirmou que torcedores fizeram gestos de macaco para ele quando atuava pelo Milan. Casos de racismo na Itália são frequentes

3 jun 2020
19h42
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator

Um dos jogadores mais ativos na luta contra o racismo, o meia Kevin-Prince Boateng, que está no Besiktas, disse em entrevista à "Sky Sports" que o futebol seria "entediante" sem negros. O jogador foi entrevistado para falar sobre as recentes manifestações antirracistas que acontecem ao redor do mundo.

Boateng recebeu insultos racistas quando atuava pelo Milan (Foto: Reprodução)
Boateng recebeu insultos racistas quando atuava pelo Milan (Foto: Reprodução)
Foto: Lance!

- Faça uma coisa. Tire todos os negros do esporte. E todos os atores negros do cinema. Como seria? Entediante. Desejo um dia que nenhum jogador negro vá trabalhar. Talvez no aniversário de George Floyd. Não porque não queremos trabalhar ou desrespeitar o clube, mas sim para homenagear a comunidade negra - disse o ganês.

O jogador também lembrou de quando deixou o campo em uma das passagens pelo Milan após receber ofensas racistas numa partida.

- Quando eu era jovem, tentei ignorar o racismo e engoli-lo. As pessoas que me conhecem me dizem que chorei, fui para casa e nunca disse nada. Digo a eles que era por ser covarde, não era forte o suficiente. Não sou mais covarde, foi o momento em que disse o suficiente. Fiquei triste e com raiva, queria mostrar ao mundo que não deixaria que eles fizessem isso comigo - afirmou Boateng, que disse que torcedores faziam gestos de macaco para ele.

Veja também:

Editor do L! analisa vitória do Fla sobre o Flu no primeiro duelo da decisão carioca
Lance!
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade