1 evento ao vivo

Boa atuação do Brasil para abrir a Liga das Nações feminina

Em Brasília, Seleção feminina de vôlei venceu a China por 3 a 0

21 mai 2019
22h34
  • separator
  • comentários

A modificada Seleção Brasileira abriu 2019 deixando uma boa impressão. Na noite desta terça-feira, no Ginásio Nilson Nelson, em Brasília, vitória sobre a China por 3 sets a 0, parciais de 25-15, 25-21 e 25-21, pela primeira rodada da Liga das Nações feminina (VNL).

Paula Borgo foi um dos destaques do Brasil (Wander Roberto/Inovafoto)
Paula Borgo foi um dos destaques do Brasil (Wander Roberto/Inovafoto)
Foto: Lance!

Com uma formação titular inédita, o time de José Roberto Guimarães foi dominante do início ao fim diante da equipe B chinesa. Ao colocar na balança o pouco tempo de treino, a natural dificuldade de entrosamento e também certa fragilidade do rival, a performance do Brasil merece elogios.

A titularidade da levantadora Macris foi um prêmio pela bela temporada e os quatro títulos conquistados com o Itambé/Minas. Ela teve três companheiras de time ao lado na base titular: Gabi, Mara e Léia. A presença da ponta e da central minimizaram bastante a questão do entrosamento. Com Macris, Zé Roberto pode ter um jogo mais acelerado, desde que a linha de recepção funcione. E, em boa parte do duelo com a China, ela pôde trabalhar com passe A.

No momentos dos pepinos, Macris não teve Bruna Honório desta vez. E Paula Borgo, reserva do Dentil/Praia Clube em toda a temporada, foi uma grata surpresa, principalmente durante o segundo set.

Faltou um pouco de sintonia na "china" com Bia, ainda mais levando em consideração o nível de eficiência que Macris demonstra nesta jogada com Carol Gattaz.

Capitã brasileira na estreia, Gabi foi a maior pontuadora do confronto (17 pontos).

Coletivamente, a destacar a regularidade dos sistemas de bloqueio e defesa, características marcantes da Seleção que fizeram falta na temporada passada. Como bem definiu Fabi na transmissão do SporTV, "volume de jogo com qualidade" para construir os contra-ataques.

No terceiro set ainda foi possível quebrar o gelo da estreante Julia Bergmann, 18 anos. A ponta é uma das joias das categorias de base, iniciando um cuidadoso processo de lapidação no adulto.

Nesta quarta-feira, novamente às 20h, o Brasil fará o segundo duelo na VNL contra a República Dominicana. Rival também no Pré-Olímpico, no segundo semestre, o time caribenho também estreou com vitória em Brasília sobre a jovem formação da Rússia por 3 a 1. Confira no link todos os resultados da terça e próximos jogos.

Lance!

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade