0

Bipolar, Vasco perde fôlego e segura empate com o Ceará no Castelão

Cruz-maltino tem grande queda de rendimento no fim, sofre empate aos 38 do segundo tempo, e perde chance de colar no G6 do Campeonato Brasileiro

26 out 2019
19h32
atualizado às 19h59
  • separator
  • 0
  • comentários

Foram dois "Vascos" neste sábado, no Castelão: um intenso e agressivo antes do gol de Rossi, outro passivo e retraído em boa parte do jogo. Atrapalhado também por problemas físicos, o Cruz-maltino perdeu fôlego no segundo tempo e teve que resistir para não sofrer um prejuízo maior do que o empate em 1 a 1 com o Ceará - válido pela 28ª rodada do Campeonato Brasileiro. Assim, a equipe da Colina viu interrompida a série de três vitórias, e desperdiçou a chance de colar no G6 da competição.

> Confira e simule a tabela do Campeonato Brasileiro

Vasco teve a estreia de Freddy Guarín como titular, neste sábado (Foto: Rafael Ribeiro/Vasco)
Vasco teve a estreia de Freddy Guarín como titular, neste sábado (Foto: Rafael Ribeiro/Vasco)
Foto: Lance!

MOTORZINHO PELA DIREITA

Rossi abriu o placar no Castelão (Foto: Rafael Ribeiro/Vasco)

Até marcar o primeiro gol, aos 18 minutos do primeiro tempo, o Vasco foi dominante na partida. E neste melhor momento cruz-maltino, Rossi foi o principal emissário do ataque. Aos dois minutos, após ótima arrancada pela direita, exigiu a primeira defesa de Diogo Silva. Invadindo a área pelo mesmo lado, às costas do lateral cearense João Lucas, o camisa 7 abriu o placar após lindo lançamento de Richard.

A partir do recuo da equipe de Luxemburgo após o gol, o atacante ainda criou boa chance no segundo tempo, depois do passe enfiado de Ribamar. Rossi terminou o jogo com dois chutes a gol, uma finalização bloqueada e 100% de aproveitamento nos três dribles tentados.

+ Vasco vacila no fim, empata com o Ceará e não entra no G6

GUARÍN DISCRETO

Guarín sofre marcação do ex-Vasco William Oliveira (Foto: Rafael Ribeiro/Vasco)

Estreando como titular pelo Vasco da Gama, o volante teve um desempenho discreto. Foram 63% por cento de acerto nos passes e 30 toques na bola. O melhor momento do camisa 8 foi em uma chegada à linha de fundo, pela direita - em que, com um bonito drible, tirou o marcador da jogada e descolou bom cruzamento para área. Ainda sem a melhor condição física, o camisa 13 deu lugar a Fellipe Bastos aos 14 minutos do segundo tempo.

LINHAS MUITO BAIXAS

Marrony deu lugar a Felipe Ferreira (Foto: LC Moreira/Lancepress!)

Dos últimos 15 minutos do segundo tempo ao apito final em Fortaleza, apostando nos encaixes individuais orquestrados por Luxemburgo na marcação, o Vasco abdicou-se da bola e recuou suas linhas. Neste sábado, porém, a estratégia não deu certo.

Especialmente no segundo tempo, Ribamar e Rossi não conseguiam segurar a bola no ataque para desafogar a defesa. O Cruz-maltino ficou sem portas de saída e viu o Ceará pressionar até marcar com Bérgson - que parecia impedido e teve gol anulado pela arbitragem de campo, mas validado após revisão do VAR. No fim, o time cearense terminou o jogo com 63% de posse de bola e 17 finalizações, contra três do Vasco.

PROBLEMAS FÍSICOS

Rossi ficou sem pernas na segunda etapa (Foto: Rafael Ribeiro/Vasco)

Sem compromissos no meio da semana, Vasco teve bom período para trabalhar desde a vitória contra o Internacional. Assim, esperava-se um time na ponta dos cascos em relação a fôlego. Mas não foi o que se viu. Na etapa final, Rossi e Lucas Ribamar ficaram entregues fisicamente e o Cruz-maltino ficou sem forças. O primeiro, uma vez que Luxa já havia queimado as três substituições, precisou lutar para permanecer em campo. Resta a dúvida sobre o que deu o tom da má atuação vascaína no fim: a estratégia ou os problemas físicos.

LADO ESQUERDO SOBRECARREGADO

Ribamar não conseguiu segurar a bola no ataque (Foto: Rafael Ribeiro/Vasco)

O lado direito do Ceará, com a dobradinha Samuel Xavier e Fabinho, é definitivamente o mais forte. Por ali, Richard e Castan tiveram que se desdobrar para cobrir o lateral Henrique - mal na partida deste sábado. O camisa 27 não conseguiu conter os avanços do Vozão por aquela faixa, e sobrecarregou a marcação.

Lance!
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade