0
Logo do Botafogo
Foto: terra

Botafogo

Basquete do Botafogo respira aliviado em meio à crise financeira do clube e projeta até o título do NBB

Em entrevista ao LANCE!, Gláucio Cruz, diretor geral de esportes do Alvinegro, comentou sobre o momento favorável que vive a modalidade atualmente

24 out 2018
09h09
atualizado às 09h09
  • separator
  • comentários

Se a estreia não foi a esperada, o Botafogo respondeu na rodada seguinte ao superar o Franca, fora de casa, e mostrar a que veio neste NBB. O projeto para a atual temporada, que iniciou com a melhor colocação no Estadual em 18 anos (segundo lugar), é ambicioso e está encouraçado financeiramente.

Reforços pontuais, como Coelho, Cauê e Murilo, contas em dia, expectativas de mais adesões de pacotes por parte dos sócios-torcedores e, sobretudo, de resultados mais expressivos. Os ingredientes estão na mesa de Gláucio Cruz, diretor geral de esportes do Alvinegro e responsável por assegurar, até diante a opositores, que a modalidade é sustentável.

Na temporada, o Bota foi vice do Carioca e soma uma derrota e uma vitória no NBB 11 (Foto: Vitor Silva/SSPress/BFR)
Na temporada, o Bota foi vice do Carioca e soma uma derrota e uma vitória no NBB 11 (Foto: Vitor Silva/SSPress/BFR)
Foto: Lance!

Gláucio Cruz: diretor geral de esportes do Botafogo (Foto: Reprodução)

Em contato ao LANCE!, Gláucio, diretor do clube desde 2015, tem estado à frente do projeto para reestruturar o basquete, hoje amparado por projetos incentivados, como explica o dirigente - e ex-jogador de basquete da casa.

- Depois que conseguimos disputar uma competição de alto nível, como o NBB, chegamos aos patrocínios, que vão ajudar a gente a tornar o esporte olímpico superavitário. Hoje, no basquete, temos R$ 4,1 milhões vindo direto da TIM, via Lei do Incentivo ao Esporte, mais patrocinadores diretos, com o ocaso da Omni, Pega Carga e outra que estamos fechando por agora, que vão gerar em torno de R$ 300 mil, além da verba oriunda da TIM - explicou, completando a respeito do que virá pela frente:

- Os salários dos jogadores e comissão técnica estão em dia. O basquete do Botafogo, hoje, é um feito histórico pois é um esporte 100% subsidiado por um projeto de incentivo. Posso dizer que temos todo o valor para pagar até o final deste NBB. Para as próximas temporadas, tudo vai depender de uma nova negociação com a TIM, que já vem como patrocinadora do clube nos últimos anos, e esperamos que continue. Estamos confiantes.

A situação financeira do Botafogo é delicada e tem dificultado o pagamento de funcionários e atletas de futebol, principalmente. Nos bastidores, por conta da previsão de um ano a ser fechado com um déficit de R$ 49 milhões, no total, há borburinhos de conselheiros opositores que se queixam dos gastos de R$ 6 milhões oriundos dos esportes olímpicos. Para Glaúcio, no entanto, o basquete passa longe de ser uma despesa desnecessária e perto de uma oportunidade de título ao clube.

Elenco desta temporada quer ir mais longe do que o de 2017, que se classificou em 12º e caiu nas oitavas (Foto: Vítor Silva/SSPress/BFR)

CANECO NA MIRA

Mesmo no início de campanha do Novo Basquete Brasil, o Botafogo já projeta voos maiores na temporada 2018/19. Nem mesmo a grave lesão de Coelho, ex-Franca, na primeira rodada (peitoral maior direito), onde houve derrota para o Joinville em casa, frustra os planos da equipe comandada por Léo Figueiró, cujo respaldo começa por cima.

- Entendo que o Botafogo chegou a um patamar de equipe competitiva, muito mais do que as dos anos anteriores, que sempre busca título independente da competição que esteja. A ideia é que haja progressão e consigamos o nosso objetivo, que é ser campeão. Repito: nosso objetivo é o título do NBB - frisou Gláucio Cruz.

Também questionado pelo L! sobre o escopo do Glorioso no NBB 11, Figueiró endossou o projetado pelo diretor, destacando também a confiança do time atual, que teve o quinteto Cauê Borges, Jamaal, Mogi, Ansaloni e Arthur Bernardi iniciando o triunfo diante de Franca - o atual campeão paulista.

- Sempre falamos que nosso time é super competitivo e tem condições de ganhar qualquer adversário. Não podemos prometer título, mas vamos brigar jogo a jogo para fazer um grande NBB e temos capacidade para isso. Essa é a edição mais disputada de todos os anos e o início já vem dando mostras do que está por vir. Nossos jogadores já sentiram como precisam se comportar para ganhar jogos deste calibre, estão mais confiantes e no caminho certo - salientou o treinador.

Léo Figueiró também foi contratado para esta temporada (Foto: Vítor Silva/SSPress/Botafogo)

PACOTE PARA JOGOS EM CASA

Com um considerável aporte financeiro, o Botafogo também tenta angariar as vendas do Pacote Basquete 2018/2019, no qual os sócios-torcedores, mediante check-in, têm acesso a todos os jogos com mando alvinegro pelo valor de R$ 120. No último ano, cerca de 200 pacotes foram comercializados, o que foi considerado abaixo do desejado.

A tendência é que os números sejam suplantados daqui para frente, com os esperados resultados convincentes. O próximo compromisso ainda será fora de casa, e novamente contra um cascudo: o Bauru, nesta quarta-feira, às 19h (de Brasília). Ou seja, outra ótima chance para dar eco ao promissor planejamento.

Lance!

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade
publicidade