1 evento ao vivo

Arthur Nory e Bia Ferreira vencem pela 1ª vez o Prêmio Brasil Olímpico

Campeões mundiais em 2019, ginasta e boxeadora são considerados os Atletas do Ano. Hugo Calderano, do tênis de mesa, é eleito o Atleta da Torcida em noite de homenagens

10 dez 2019
23h02
atualizado às 23h08
  • separator
  • 0
  • comentários

O Prêmio Brasil Olímpico teve vencedores inéditos em 2019. Nesta terça-feira, o ginasta Arthur Nory e a boxeadora Bia Ferreira, campeões mundiais na temporada, conquistaram o prêmio de Atletas do Ano e ficaram com a honraria entregue pelo Comitê Olímpico do Brasil (COB), em cerimônia na Cidade das Artes, no Rio de Janeiro.

Arthur Nory e Bia Ferreira foram os Atletas do Ano (Foto: Alexandre Loureiro/COB)
Arthur Nory e Bia Ferreira foram os Atletas do Ano (Foto: Alexandre Loureiro/COB)
Foto: Lance!

Medalhista de ouro na barra fixa no Mundial de Stuttgart (ALE), em outubro, Nory deixou para trás canoísta Isaquias Queiroz, campeão mundial no C1 1.000m, e o surfista Gabriel Medina, que está no Havaí em busca do tricampeonato do Circuito Mundial.

- Estou muito feliz em ser premiado ao lado de Isaquias e Medina, que fizeram um ano incrível. Não é um prêmio só meu, de toda equipe multidisciplinar. Tive que personalizar meu treino e é muito gratificante poder dividir o prêmio com tanta gente. É uma mistura de emoções. Segurei o choro. É muita gratidão por todo mundo que ajudou a conquistar. Agora é comemorar o título, mas a Olimpíada já está chegando - disse o ginasta, bronze no solo na Rio-2016.

Já Bia, que garantiu presença no topo do pódio na categoria até 60kg do Mundial da China, no mesmo dia do título de Nory, superou a esgrimista Nathalie Moellhausen e a nadadora Ana Marcela Cunha, da maratona aquática. Ambas também foram campeãs mundiais em 2019. A boxeadora colocou a modalidade pela primeira vez no patamar dos vencedores da categoria. O ano da baiana teve ainda o ouro no Pan de Lima, em agosto.

- Minha equipe está arrebentando. Estamos bem preparados. Estamos focados e sabemos o que queremos. As mulheres estão dominando. Os homens que me desculpem, mas as mulheres estão arrasando. Fico muito feliz de saber que ganhei contra meninas tão boas, como a Ana Marcela e a Nathalie. O ano foi muito especial, com ouro no Pan e ouro no Mundial - disse Bia.

O técnico Mateus Alves, que teve participação fundamental nas conquistas da baiana, e Renan Dal Zotto, comandante da Seleção Brasileira masculina de vôlei campeã da Copa do Mundo, faturaram o prêmio de melhores treinadores.

Hugo Calderano, do tênis de mesa, foi o escolhido por votação popular o melhor atleta do ano. Ele venceu a disputa com 47% dos votos. A ginasta Flávia Saraiva teve 36,4% e ficou em segundo. O atleta está em competição na China e não pôde comparecer à cerimônia, mas gravou uma mensagem em vídeo.

- Esse prêmio é de todos os atletas e fãs de tênis de mesa do Brasil. E também é de todos os nossos amigos e familiares que aprenderam a gostar do nosso esporte. Muito obrigado a todos vocês que votaram diariamente nessas últimas semanas. Tenho muito orgulho por ter sido escolhido por vocês e é uma grande honra representar o tênis de mesa e o Brasil - afirmou Calderano.

O evento também ficou marcado pela inclusão de seis ídolos do esporte nacional no Hall da Fama do COB: Guilherme Paraense (tiro esportivo), Joaquim Cruz (atletismo), João do Pulo (atletismo), Magic Paula (basquete) Maria Lenk (natação) e Sylvio de Magalhães Padilha (atletismo). O troféu Adhemar Ferreira da Silva foi entregue ao ex-jogador de basquete Oscar Schmidt.

Lance!
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade