0

Após ouro, Paulo André mira trinca: 'É um sonho que pode virar realidade'

Na Universíade, Brasil fez dobradinha nos 100m, com ouro de Paulo André Camilo e bronze de Rodrigo Nascimento. Agora, Paulo quer medalhas nos 200m e no revezamento 4x100m

9 jul 2019
20h02
  • separator
  • 0
  • comentários

Deu a lógica nos 100m rasos do atletismo da Universíade, que está sendo disputada em Nápoles, na Itália. O brasileiro Paulo André Camilo confirmou o favoritismo e venceu a final, com tempo de 10s10, em prova realizada no estádio San Paolo. Foi o primeiro ouro do Brasil nos Jogos Universitários.

Paulo André Camilo e Rodrigo do Nascimento festejam ouro e bronze nos 100m no San Paolo (Thiago Parmalat/CBDU)
Paulo André Camilo e Rodrigo do Nascimento festejam ouro e bronze nos 100m no San Paolo (Thiago Parmalat/CBDU)
Foto: Lance!

Além disso, o país também fez dobradinha na prova, com Rodrigo do Nascimento faturando o bronze. Ambos fazem parte da equipe brasileira que foi campeã mundial recentemente no Japão.

- Estou feliz. Ser campeão é legal. Foi uma marca boa. Não é o que a gente quer, ainda temos de melhorar, mas estamos no caminho certo - afirmou o campeão, que tem 10s02 como recorde pessoal e busca baixar da casa dos 10s.

- Confesso que saiu um peso das minhas costas. Agora estou mais tranquilo, sei que estou bem e confiante. Sair de Nápoles com três medalhas seria um sonho que pode virar realidade. Tô aqui para isso. Vim com esse objetivo. É concentrar e descansar para se recuperar e chegar bem nas duas provas.

As duas provas a que ele se refere são os 200m e o revezamento 4x100. Mas para isso, Paulo terá de superar o sul-africano Van Wyk, prata nos 100m rasos.

- Ele é o adversário mais forte. Ele corre o circuito, eu o conheço bem. Teve aqueles olhares entre nós antes dos 100m, de um querendo intimidar o outro. E ele é muito forte nos 200m. Tenho de montar estratégia para tentar vencer.

Terceiro lugar nos 100m, Rodrigo do Nascimento ficou feliz com o resultado, mas diz ter saído decepcionado com seu tempo, de 10s32

- Temos que dar valor porque é uma competição forte, mundial. Mas, confesso que estou insatisfeito com meu resultado. Gostei da corrida, mas infelizmente eu estava um pouco preso. Agora quero treinar para me soltar, porque o objetivo é o Pan. Estamos no pódio, na dobradinha, mas queríamos ouro e prata. Quero melhorar minha marca e me esforçar para ganhar as provas.

Confira como foi o dia no atletismo:

Pela manhã, Juliana Campos fez qualificação de salto com vara e, mesmo tendo usado uma vara emprestada, já que a sua ficou perdida no aeroporto de Lisboa, conseguiu se classificar em primeiro lugar para a final, na quinta (11)

Alison dos Santos, nos 400m com barreiras, também se classificou para a semifinal, que acontece amanhã, 10.

No fim da tarde, aconteceu semifinal dos 400m com barreiras feminino. Marlene dos Santos fez uma prova forte para chegar entre as três primeiras de sua série, mas infelizmente não conseguiu avançar.

Nos 100m feminino, Vitória Rosa, que foi segunda colocada em sua série na semifinal, acabou em quinto na final, a apenas 2 milésimos do bronze.

Lance!
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade