2 eventos ao vivo

'Abafa' pelas alas, correção e defesas. Flu leva Taça Rio com autoridade

Equipe de Abel Braga se mostrou superior à do Botafogo, principalmente no segundo tempo, quando conseguiu dois gols e assegurou o troféu

26 mar 2018
06h23
  • separator
  • comentários

O Fluminense conquistou a Taça Rio em uma final que comandou as ações na maior parte do jogo e, fora alguns lances, dominou o Botafogo. Uma atuação que fez com que o troféu fosse para lá de merecido.

As atuações que merecem mais destaque são as de Pedro - que fez um gol e deu uma assistência -, Ayrton Lucas e Júlio César, que fez grandes defesas, principalmente no primeiro tempo.

O time de Abel Braga entrou em campo no já conhecido 3-5-2 e logo criou as primeiras oportunidades. Porém, ao mesmo tempo em que o setor ofensivo criava boas chances, o defensivo mostrava alguns lapsos de atenção, deixando espaço para o time alvinegro. Nestes momentos, apareceu Júlio César que evitou o gol alvinegro em diversos momento e, durante o confronto, teve o nome gritado pela torcida de maneira efusiva O goleiro já havia ido muito bem contra o Flamengo.

Gum levanta o troféu da Taça Rio com os companheiros (FOTO: LUCAS MERÇON / FLUMINENSE F.C.)
Gum levanta o troféu da Taça Rio com os companheiros (FOTO: LUCAS MERÇON / FLUMINENSE F.C.)
Foto: Lance!

Com o apoio de Ayrton Lucas e Gilberto, o Fluminense sufocava o Botafogo e levava perigo ao gol de Jefferson. E foi justamente em uma jogada que começou nos pés de Ayrton Lucas que saiu o primeiro gol. O lateral avançou, tabelou com Sornoza e deixou a bola açucarada para o jovem balançar a rede.

Os comandados de Abel ainda desperdiçaram algumas chances na etapa inicial.

No retorno do intervalo, o Fluminense mudou o posicionamento no meio de campo e conseguiu neutralizar as investidas do Botafogo, que pouco conseguia criar. A defesa tricolor só passou algum apuro quando a equipe alvinegra foi para o tudo ou nada, já nos minutos iniciais.

Com uma marcação segura, o lançamento também passou a ser uma arma do Flu. Em um deles, Pedro fez um bom pivô e deixou Marcos Júnior na cara de Jefferson para ampliar a vantagem.

Um ponto a se destacar é que, em boa parte dos contra-ataques, a equipe do Fluminense conseguia chegar em igualdade de números de jogadores em relação à defesa do Botafogo, o que aponta para uma boa organização em campo.

Com o placar encaminhado, Abel sacou Pablo Dyego e o jovem voltou a entrar bem. Caindo pela esquerda, conseguiu boas jogadas e, quando a torcida já gritava 'É campeão', deu uma assistência para Jadson dar números finais à decisão.

Lance!

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade
publicidade