0

Lesionado em 2007, pentatleta vai ao Pan realizar "estreia"

8 set 2011
10h37
atualizado às 12h01

Completando 33 anos nesta semana, Wagner Romão, atual segundo colocado do ranking brasileiro de pentatlo moderno, curte o bom momento na carreira esportiva de olho no Pan de Guadalajara, que ocorre em outubro. Mesmo sendo um veterano na competição continental, já que participou da edição do Rio de Janeiro, em 2007, o atual 78º colocado do ranking mundial vai para a cidade mexicana como se estivesse estreando no torneio.

"Nos dez dias finais de preparação para o Pan do Rio, sofri um violento acidente caindo do cavalo. Cheguei a ser levado de ambulância para o hospital e estava bastante preocupado com minha coluna. Felizmente, após vários exames, não foi constatado nada grave", disse o pentatleta.

Imediatamente, Romão passou por uma série de sessões de fisioterapia e chegou a medicar-se para aliviar as dores na região. A pior imagem do acidente que guarda na memória é a de andar de cadeira de rodas pela Vila Pan-Americana: o sonho de chegar ao Pan não estava sendo prazeroso.

"Estar ali no Pan era o meu objetivo traçado desde 2004, algo que eu alimentava a cada dia. Consegui competir, mas meu condicionamento físico estava muito prejudicado, inclusive com algumas limitações de movimento", afirmou.

O 11º lugar na competição foi a constatação de que precisaria viver uma nova experiência em um Pan-Americano. Em Guadalajara, no próximo mês, Wagner Romão terá a chance de se apresentar em plena forma em uma edição do evento.

"Quando você vai para um torneio desses, você é inserido na Seleção Brasileira de todos os esportes. Sabe que na hora do almoço encontrará na mesa com os atletas do vôlei, do triatlo, da natação. Você vê aqueles caras que acompanhou durante toda sua vida numa posição de igual para igual com você", disse.

Contudo, antes do Pan de Guadalajara, Romão encara uma das competições mais importantes do calendário anual do pentatlo moderno: o Campeonato Mundial Sênior. A partir desta quinta-feira (8), ele estará ao lado de outros cinco brasileiros em Moscou (os três pentatletas que lhe farão companhia em Guadalajara, Luis Magno, Priscila Oliveira e Yane Marques, além dos jovens Felipe Nascimento e William Muinhos) e mais outros 179 atletas de 34 países.

"Nossa expectativa é modesta. Sabemos que ainda estamos um pouco abaixo do nível europeu na modalidade. O trabalho tem sido feito da melhor maneira, mas um Mundial é sempre a competição mais dura do ano. Acho que qualquer brasileiro que passar para a final já será um grande feito", afirmou.

Além da hegemonia na competição e dos pontos para o ranking mundial que estarão em jogo na Rússia estão preciosas seis vagas (três no masculino e outras três no feminino) para os Jogos Olímpicos de Londres, no ano que vem. Caso não consiga se garantir na Ásia, o Pan de Guadalajara dará ao atleta mais uma chance de carimbar seu passaporte para a Inglaterra em 2012. No México, oito atletas (quatro por gênero) vão ter esse privilégio.

Lesionado no Pan do Rio, Romão quer melhorar seu desempenho em Guadalajara
Lesionado no Pan do Rio, Romão quer melhorar seu desempenho em Guadalajara
Foto: Divulgação
Fonte: Terra
publicidade