0

Favorito, Lucas Prado é ouro em dia de poucos pódios no atletismo

17 nov 2011
00h01
atualizado às 01h14

Depois de conquistar 15 medalhas no atletismo nesta terça-feira, a delegação brasileira teve dia mirrado nos Jogos Parapan-Americanos de Guadalajara. Os representantes do País chegaram a sete finais, mas só conseguiram pódio em quatro delas, com destaque para a medalha de ouro de Lucas Prado. Favorito nos 200 m, categoria T11, ele liderou a dobradinha ao lado de Daniel Silva.

Veja o quadro de medalhas dos Jogos Parapan-Americanos de Guadalajara

Na classificação das categorias do atletismo, a letra diz respeito ao tipo de prova: T (track, pista em inglês) ou F (field, campo em ingês). O número trata do grau de deficiência dos atletas. Quanto maior o número, maior a dificuldade: de 11 a 13 reúne deficientes visuais, 20 trata de deficientes mentais, de 31 a 38 contém paralisados cerebrais, de 41 a 46 se refere a amputados, e de 51 a 58 competem em cadeira de rodas.

Na categoria T11, Lucas Prado honrou o status de campeão paraolímpico, recordista mundial e recordista parapan-americano e liderou a disputa. Terminou com a medalha de ouro depois de correr em 22s85, estabelecendo nova marca para a competição. O recorde anterior, cravado no Rio de Janeiro, em 2007, era de 22s93. A prata ficou com Daniel Silva, que fez 23s02, seu melhor tempo na temporada. O cubano Arian Iznaga termino com o bronze.

Além de Prado, o único brasileiro a conquistar ouro no atletismo nesta quarta-feira foi Thierb Siqueira, que venceu os 200 m T12 com tempo de 23s18, à frente do medalhista de prata, o mexicano Jorge Gonzalez Sauceda, com 23s34, e do cubano Lazaro Reus Fabian, bronze ao cravar 23s44. Apesar do bom desempenho, Siqueira ficou longe do recorde parapan-ameriano do brasileiro Pedro Moraes, determinado em 2007, no Rio de Janeiro: 22s48.

Dia mirrado no atletismo

O Brasil teve representantes em sete provas, mas não conseguiu medalha em três delas. No lançamento de peso F32-34, Bruno Rodrigues Teixeira foi o único a ficar fora do pódio: terminou em quarto e último lugar. Na mesma prova, mas categoria F54-56, Elizabeth Gomes ficou na quinta colocação. Já nos 400 m T54, Thiago Souza não passou do quinto lugar, embora tenha feito sua melhor marca da temporada, com 50s47.

Já nos 100 m T46, Sheila Finder conseguiu um lugar ao pódio que era certo desde o princípio, já que havia apenas três competidoras. Assim sendo, foi melhor do que a venezuelana Mariel Bethancourt e ficou com a prata, com tempo de 13s29. O ouro ficou com a cubana Yunidis Castillo, que cravou o novo recorde parapan-americano: 12s08.

O outro brasileiro a brilhar nesta quarta-feira foi Claudiney Batista dos Santos, bronze no lançamento de disco F57-58 ao marcar 37,53 m. A prata ficou com o americano Dennis Ogbe, com 44,94 m, enquanto que o mexicano Fernando del Rosario conquistou o ouro e o recorde parapan-americano, com 50,51 m.

Lucas Prado quebrou o recorde parapan-americano
Lucas Prado quebrou o recorde parapan-americano
Foto: Cleber Mendes/Fotocom / Divulgação
Fonte: Terra
publicidade