PUBLICIDADE

Rayssa, Pâmela e Letícia são favoritas no skate e sonham com pódio triplo em Tóquio neste domingo

Brasileiras competem em Tóquio com esperança de aumentar a conta de medalhas para o Brasil, que já teve uma prata no masculino

25 jul 2021 18h33
| atualizado às 19h27
ver comentários
Publicidade

Rayssa Leal, Leticia Bufoni e Pâmela Rosa não se desgrudam desde a chegada a Tóquio para a disputa dos Jogos Olímpicos. As amigas skatistas, "bravas ou fadinhas", como se definem, vivem tirando fotos abraçadas, uma premonição de como querem ficar após a disputa do street deste domingo ainda. Elas sonham com um triplo pódio brasileiro no skate. A modalidade feminina começa a competir a partir das 20h30 no horário de Brasília.

Para quem acha impossível o pódio triplo com a mesma bandeira, as brasileiras estão entre as principais favoritas à disputa de medalha em Tóquio. Pâmela Rosa é a líder do ranking. Rayssa surge como segunda colocada. E Letícia Bufoni figura em quarto. Rayssa pode ainda se tornar na mais jovem campeã olímpica, com somente 13 anos e 7 meses. Ela já tietou e viu o astro Tony Hawk elogiar suas manobras na Vila Olímpica. Ela se disse lisonjeada e espera "dar alegria" a todos com uma medalha.

A jovem não esconde a ansiedade, mas sempre comenta que entrará para a disputa com concentração e seriedade para confirmar o favoritismo. A 'fadinha' vive um conto que espera terminar com final feliz. Está perto disso. O primeiro passo foi chegar aos Jogos Olímpicos. "Quero ver muita energia positiva para os brasileiros e para os skatistas. É "nóis"", pede a jovem em suas redes sociais. A turma do skate costuma ser unida.

Letícia aponta um "dia histórico" para o skate na Olimpíada e espera também se dar bem nesta noite de domingo (horário brasileiro, manhã de segunda-feira no Japão). Pâmela, de 22 anos, é a que menos se manifesta, mas é a principal favorita. Tocadora de chocalho da escola de samba Tom Maior, sua outra paixão, a campeã mundial entra na pista às 22h08 (de Brasília) e quer repetir o desempenho que a levou a uma prata no X Games logo no começo da carreira. Desde então, ela se transformou em um fenômeno do skate.

Pâmela garante estar focada na competição, não teme a pressão, mas tira o peso das costas de ser a "principal" favorita. Elogia as compatriotas e sonha em as fadas no pódio, não importa a colocação. Com ouro, prata e bronze ao Brasil, ela ficará feliz.

Estadão
Publicidade
Publicidade