0

Japão nega boatos de cancelamento da Olimpíada

Jornal The Times havia revelado na quinta que governo japonês teria decidido cancelar os Jogos de Tóquio devido à falta de perspectivas de controle da pandemia

22 jan 2021
04h14
atualizado às 07h41
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator

O Japão reforçou seu compromisso de sediar a Olimpíada de Tóquio este ano e negou veementemente notícias divulgadas nesta quinta-feira, dia 21, sobre um possível cancelamento da competição, em movimento que dificilmente diminuirá os temores públicos de realizar o evento durante a pandemia.

Ministra japonesa diz que Olimpíada deverá acontecer 'a qualquer custo' em 2021
Ministra japonesa diz que Olimpíada deverá acontecer 'a qualquer custo' em 2021
Foto: Reuters

Embora grande parte do Japão esteja em estado de emergência devido a uma terceira onda de infecções pela covid-19, os organizadores de Tóquio têm prometido avançar com os Jogos, programados para começar em 23 de julho, após eles terem sido adiados em março do ano passado por causa da doença.

Um porta-voz do governo japonês disse que não havia "verdade" em reportagem do The Times de que o governo havia concluído que a Olimpíada de Tóquio teria de ser cancelada por causa da pandemia. A governadora de Tóquio, Yuriko Koike, também afirmou que não havia rumores sobre o cancelamento ou adiamento da disputa nesse momento. O Times, citando um membro sênior não identificado da coalizão governante, disse que o foco do governo agora estava em garantir os Jogos de Tóquio no próximo ano disponível, 2032. "Vamos negar claramente a reportagem", disse o vice-chefe do gabinete, Manabu Sakai, em entrevista coletiva.

Em um movimento raro, o governo emitiu comunicado para negar a reportagem, dizendo que estava trabalhando em estreita colaboração com o Comitê Olímpico Internacional (COI) e outras partes na preparação para Jogos seguros e protegidos. O comitê organizador de Tóquio 2020 também negou a informação, afirmando em nota oficial que seus parceiros, incluindo o governo japonês e o Comitê Olímpico Internacional, estavam "totalmente focados" em sediar a disputa.

"É muito decepcionante ver que o Times está desenvolvendo uma história semelhante a um tablóide com uma fonte não confiável", disse um membro do comitê de Tóquio 2020 à Reuters. "O governo nacional está totalmente comprometido em oferecer Jogos seguros e protegidos, e sempre somos encorajados por sua dedicação", disse a fonte.

Nas primeiras reações internacionais, os Comitês Olímpicos da Austrália e dos Estados Unidos disseram que estavam se preparando para os Jogos conforme planejado. "Infelizmente, preciso resolver os rumores infundados de que os Jogos Olímpicos serão cancelados, rumores que só criam mais ansiedade para os atletas", disse Matt Carroll, presidente-executivo do comitê australiano, a jornalistas em Sydney. "Os Jogos de Tóquio começaram. A chama será acesa em 23 de julho de 2021."

Os comitês dos EUA e do Canadá escreveram no Twitter que não receberam nenhuma informação sugerindo que os Jogos não aconteceriam conforme planejado.

Medo da pandemia

O Japão foi atingido com menos gravidade pela pandemia em comparação a muitas outras economias avançadas, mas um aumento recente nos casos o forçou a fechar suas fronteiras para estrangeiros não residentes e declarar estado de emergência na capital Tóquio e em outras cidades importantes.

Tóquio relatou mais de 1 mil novos casos diários de coronavírus por nove dias consecutivos até quinta-feira e estabeleceu um recorde em único dia de mais de 2,4 mil infecções no início deste mês. O número de mortos por doenças respiratórias é de quase 4,9 mil pessoas no Japão.

Em pesquisa recente, no entanto, verificou-se que cerca de 80% das pessoas no Japão não querem que os Jogos sejam realizados neste verão devido ao temor de que o influxo de atletas espalhe ainda mais o vírus. Em entrevista antes da reportagem do Times, o CEO da Tóquio 2020, Toshiro Muto, disse estar cautelosamente esperançoso de que campanhas de vacinação contra a covid-19 bem-sucedidas poderiam ajudar a realizar de forma segura o maior evento esportivo do mundo.

Os Jogos Olímpicos representam um marco importante para o Japão e seu primeiro-ministro, Yoshihide Suga, que disse que o evento traria "esperança e coragem" ao mundo. Suga reiterou nesta sexta que tudo ocorreria conforme o planejado. O presidente do Comitê Olímpico Internacional, Thomas Bach, reafirmou seu compromisso com a realização dos Jogos este ano em uma entrevista ao Kyodo News na quinta.

"Não temos, neste momento, nenhum motivo para acreditar que os Jogos Olímpicos de Tóquio não serão iniciados no dia 23 de julho no estádio Olímpico de Tóquio", disse Bach a Kyodo./Reuters

Veja também:

Relembre campeões e vices fora dos quatro grandes
Estadão
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade