PUBLICIDADE

Com duas medalhas, Rebeca Andrade mira prova de solo: 'Sensação que quero levar para amanhã'

Brasileira já tem a prata no individual geral e o ouro no salto. Acrobacia que deu o lugar mais alto do pódio à ginasta, foi a mesma que rendeu duas lesões no joelho da atleta

1 ago 2021 10h30
| atualizado às 12h10
ver comentários
Publicidade

O Brasil jamais havia conquistado uma medalha na ginástica artística feminina em Olimpíadas. No entanto, a história mudou nestes Jogos Olímpicos em Tóquio. Com Rebeca Andrade, o Brasil já soma dois pódios, sendo um ouro e uma prata. Neste domingo, a ginasta do Flamengo subiu no lugar mais alto do pódio após brilhar na prova de salto.

Rebeca Andrade superou duas cirurgias no joelho para ser campeã olímpica (Foto: LIONEL BONAVENTURE/AFP)
Rebeca Andrade superou duas cirurgias no joelho para ser campeã olímpica (Foto: LIONEL BONAVENTURE/AFP)
Foto: Lance!

- Meu foco não é a medalha, é fazer boas apresentações. Ontem eu estava muito feliz. E é essa sensação que eu quero levar pra amanhã. Não foram meus melhores saltos. Mas isso é ginástica. Tirei nota suficiente para garantir o primeiro lugar. Estou muito, muito feliz! Agora tenho duas! - comemorou Rebeca, que faz a final do solo nesta segunda-feira.

Rebeca Andrade venceu a prova de salto deste domingo ao somar 15.083 pontos. Cada atleta tem direito a duas tentativas, e Rebeca escolheu as acrobacias 'Cheng', e 'Amanar'. Esta segunda, que é uma homenagem a romena Simona Amanar, não era realizada por Rebeca desde 2017. Por causa do salto, a brasileira teve de fazer duas cirurgias no joelho. Em Tóquio, o movimentou rendeu o ouro à ginasta.

Lance!
Publicidade
Publicidade