PUBLICIDADE

Campeão olímpico húngaro, que era antivacina, morre de covid

O ex-atleta conquistou o ouro nas argolas em Sydney 2000, estava internado desde novembro

25 jan 2022 23h16
| atualizado em 26/1/2022 às 08h33
ver comentários
Publicidade
Ginasta húngaro Szilveszter Csollány, em 30 de agosto de 2001, quando ganhou ouro nas argolas nos Jogos da Boa Vontade em Brisbane, na Austrália (Foto: WILLIAM WEST / AFP)
Ginasta húngaro Szilveszter Csollány, em 30 de agosto de 2001, quando ganhou ouro nas argolas nos Jogos da Boa Vontade em Brisbane, na Austrália (Foto: WILLIAM WEST / AFP)
Foto: Lance!

O húngaro Szilveszter Csollany, ex-ginasta e campeão olímpico, em 2000, morreu nesta terça-feira (25), vítima de complicações em decorrência da covid-19. O anúncio foi feito pelas autoridades esportivas do país centro-europeu.

Csollany, que tinha 51 anos, estava internado desde o fim do ano passado, em estado grave, por complicações respiratórias decorrentes da doença. O ex-atleta chegou a ser transferido de sua cidade, Sopron, para um hospital em Budapeste, onde precisou de ventilador pulmonar, mas não resistiu.

Apesar de ser declaradamente antivacina e fazer publicações contra o imunizante em suas redes sociais, o ex-ginasta chegou a tomar o imunizante para poder continuar com seu trabalho de treinador, em contato com crianças, poucos dias antes de adoecer. Segundo informações do jornal Blikk, ele não havia desenvolvido um nível suficiente de anticorpos.

Campeão europeu em 1998, conquistou a prata nos Jogos de Atlanta-1996, antes de faturar o ouro em Sydney-2000. O húngaro também levou o ouro no Campeonato Mundial em 2002, além de cinco pratas em edições anteriores, sempre nas argolas.

Lance!
Publicidade
Publicidade