PUBLICIDADE

Bruno Fratus é a grande atração da noite deste sábado nos Jogos Olímpicos; veja a programação

Nadador brasileiro fez bons tempos nas eliminatórias dos 50m livre da natação; ele tem chance de medalha

31 jul 2021 18h49
ver comentários
Publicidade

O atletismo nos Jogos Olímpicos pede passagem na noite deste sábado no horário do Brasil, manhã de domingo em Tóquio. As provas são rápidas, a maioria ainda em fase classificatória, como os 3000m com obstáculos para mulheres. Esse programa começa às 21h50. Há ainda o salto em distância feminino. E os 400m rasos masculino a partir das 22h45. O Brasil figura em todas elas, mas com poucas chances de superar seus rivais. O estádio Olímpico de Tóquio é lindo, pena que não tem público por causa da pandemia, que tem batido recordes de contaminados na cidade-sede.

A principal atração da noite, no entanto, fica por conta da apresentação do velocista Bruno Fratus na prova dos 50m livre da natação. Anote o horário: 22h30. Se você cochilar, perde a disputa. Ela dura 21 segundos. Fratus se classificou entre os primeiros nas eliminatórias. Tem chance de medalha. Boas chances. Um pouco depois tem as mulheres na mesma competição. O Estadão destaca uma programação legal deste sábado.

Atletismo

  • 21h40

A prova de 3000m com obstáculos vale classificação. A disputa reúne atletas mais resistentes. O Brasil estará representado com Simone Ferraz. Seu melhor tempo na modalidade é 9:45.15. Não é dos melhores. Na sequência, há o salto em distância para mulheres também. São todas provas classificatórias ainda. E ainda os 400m rasos, mas esse para homens. As disputas são sequenciais.

Vôlei de Praia

  • 22h

Ana Patrícia e Rebecca fazem a primeira partida de mata-mata na modalidade. Elas enfrentam as chinesas Wang e Xia. São favoritas. Mas terão de provar isso na areia de Tóquio. Uma nova vitória leva a dupla brasileira para mais perto das medalhas. O Time Brasil vai bem na modalidade. E a competição vai começar a afunilar.

Natação

  • 22h30

A principal atração da noite, no entanto, fica por conta da apresentação do velocista Bruno Fratus na prova dos 50m livre. Anote o horário: 22h30. Se você cochilar, perde a disputa. Ela dura 21 segundos. Fratus se classificou entre os primeiros nas eliminatórias. Tem chance de medalha. Boas chances. O brasileiro nada nas raias do meio da piscina. O Brasil já foi ouro nessa prova com Cesar Cielo em Pequim 2008. O time da natação do Brasil já tem uma conquista em Tóquio, portanto está melhor do que foi no Rio, em 2016. Vale lembrar que o ouro vale R$ 250 mil de premiação para Fratus dado pelo Comitê Olímpico do Brasil (COB). Para receber, tem de bater em primeiro.

Vôlei

  • 23h05

O time masculino de vôlei do Brasil faz mais uma partida dura em Tóquio. Enfrenta a França, que depois da Olimpíada será comandada pelo técnico Bernardinho, atualmente na função de comentarista do SporTV. O jogo vale pela 5ª rodada. O Brasil teve um começo razoável apenas, mas cresce na competição. É candidato a medalha.

Vela

  • 02h33

Chegou a vez de Robert Scheidt fazer história em Tóquio. Em sua sétima edição olímpica, o velejador está entre os melhores na disputa de medalha da classe laser. Não será fácil superar os concorrentes mais jovens. Um pódio encerraria a história do atleta, de 48 anos, em grande estilo. Dono de cinco pódios olímpicos, ele chega à sua sétima edição dos Jogos como um veterano que conseguiu compensar com técnica e esforço as dificuldades físicas que o tempo impõe sobre o corpo. Com currículo invejável, ele não tem mais nada para provar: é bicampeão olímpico, tem ainda duas medalhas de prata e uma de bronze, já foi porta-bandeira (em Sydney-2000) e tem 13 títulos mundiais.

Ginástica Artística

  • 5h52

Mais uma vez o Brasil vai acordar cedo para ver Rebeca Andrade. A ginasta de 22 anos, que já tem uma prata nos Jogos de Tóquio, volta ao tablado para mostrar sua graça e precisão no solo, por exemplo. Rebeca esbanja simpatia e talento. Suas apresentações têm sido encantadoras para os jurados e para o torcedor brasileiro. É dela a primeira medalha entre as mulheres na modalidade. O Brasil não tinha vencido antes.

Boxe

  • 6h18

O boxe brasileiro tem a chance de assegurar mais uma medalha para o País. Hebert Conceição sobre no ringue para enfrentar Abilkhan Amankul. O duelo vale pela fase de quartas de final. Quem passar já garante o bronze porque no boxe não há disputa de terceiro lugar. Hebert é peso médio.

Estadão
Publicidade
Publicidade