PUBLICIDADE

'Bons times sempre têm sorte', diz Pia após goleada do Brasil em estreia na Olimpíada de Tóquio

Seleção brasileira feminina faz 5 a 0 diante da China, nesta quarta-feira, nos Jogos Olímpicos e abre caminho para sua classificação

21 jul 2021 14h54
| atualizado às 15h44
ver comentários
Publicidade

A estreia contundente da seleção brasileira de futebol feminino na Olimpíada de Tóquio-2020 nesta quarta-feira de madrugada ganhou elogios da treinadora da equipe, a sueca Pia Sundhage. A vitória de 5 a 0 contra a China encheu os olhos da comandante, que ficou feliz por começar os Jogos com o pé direito e, mesmo com a goleada, colocou a sorte como um dos fatores para vencer a primeira partida da fase de grupos.

"Estou muito feliz pela maneira que jogamos hoje (quarta-feira), marcando gols, atuando bem. A primeira partida é sempre muito difícil. Imaginamos que o placar seria mais apertado. Em alguns momentos, a China dificultou nossa vida e tivemos sorte, mas bons times sempre têm. Foi um bom começo para a seleção brasileira", disse a técnica durante entrevista coletiva no Japão.

Pia Sundhage sabe muito bem o que é começar bem uma Olimpíada - a ex-craque da seleção da Suécia tem três medalhas no currículo, duas de ouro e uma de prata. Para a técnica, o entrosamento da seleção brasileira, mesmo com as estreantes Duda, Júlia Bianchi e Ludmila participando do confronto, foi um dos principais pontos positivos diante das chinesas.

"Para que uma jogadora tenha sucesso, nós precisamos estar organizadas, todas na mesma página, em sintonia. Isso significa que, se alguém fizer coisas malucas e maravilhosas, ela pode fazer, porque o time está organizado, do ataque à defesa, o que traz o melhor de jogadoras especiais como as nossas", declarou.

Para a próxima partida, o Brasil tem pela frente a Holanda, em jogo marcado para sábado, às 8 horas (de Brasília), mais uma vez na cidade de Myagi, pela segunda rodada do Grupo F. As holandesas também golearam na estreia: 10 a 3 sobre Zâmbia. Não será um jogo como foi diante da China. A Holanda tem boas jogadoras, marca forte e gosta também de fazer gols. Tem sete gols de saldo. O Brasil tem cinco.

Estadão
Publicidade
Publicidade