PUBLICIDADE

Bach elogia sede olímpica "mais bem preparada da história"

Presidente do COI fez primeira aparição pública desde chegada ao Japão, na última semana, e exaltou Tóquio a 10 dias do início da Olimpíada

13 jul 2021 11h14
| atualizado às 14h02
ver comentários
Publicidade

Em sua primeira aparição pública desde a chegada ao Japão, na última semana, o presidente do Comitê Olímpico Internacional (COI), o alemão Thomas Bach, descreveu nesta terça-feira Tóquio como a cidade-sede "mais bem preparada de todos os tempos" da história da Olimpíada. O evento esportivo na capital japonesa terá a cerimônia de abertura daqui 10 dias.

Thomas Bach durante entrevista coletiva desta terça-feira, em Tóquio
Thomas Bach durante entrevista coletiva desta terça-feira, em Tóquio
Foto: Kyodo News/Reuters

Várias medidas drásticas foram implementadas para essa Olimpíada, que acontecerá em Tóquio entre o próximo dia 23 e 8 de agosto a portas fechadas para limitar os riscos de disseminação da covid-19. Bach, que passou três dias em quarentena, declarou para a presidente do Comitê Organizador de Tóquio-2020, Seiko Hashimoto, que os organizadores estavam fazendo "um trabalho fantástico".

"Vocês conseguiram fazer de Tóquio a cidade mais bem preparada de todos os tempos para os Jogos Olímpicos", disse o dirigente, acrescentando: "É ainda mais notável nas circunstâncias difíceis que todos temos de enfrentar".

Bach e Hashimoto se encontraram quando os primeiros atletas começavam a chegar à Vila Olímpica, que abriu as suas portas nesta terça-feira sem cerimônia ou impacto midiático. Os organizadores se recusaram a especificar quais equipes entraram no local e o número de atletas já hospedados nos 21 edifícios do complexo.

De acordo com as regras estabelecidas, os atletas só podem entrar na Vila Olímpica cinco dias antes de suas provas, devendo deixá-la em até 48 horas após o término de suas competições. É hora de "mostrar o melhor de vocês, o que vocês prepararam por tanto tempo", disse Bach aos atletas.

A 10 dias da abertura dos Jogos Olímpicos, Tóquio está novamente em estado de emergência sanitária, com medo de um aumento no número de casos de covid-19. Atletas, treinadores, juízes e jornalistas passarão por testes PCR regulares e seus deslocamentos serão limitados.

Várias pesquisas nos últimos meses indicaram que a maioria da população japonesa preferia que os Jogos Olímpicos fossem adiados novamente ou simplesmente cancelados.

POLÊMICA

Um grupo de cidadãos pediu ao governo de Hiroshima que cancele a visita de Bach, programada para esta sexta-feira, início da Trégua Olímpica. O grupo formalizou o pedido com um abaixo-assinado com mais de 15 mil assinaturas entregue a um oficial da prefeitura.

O grupo argumenta que o presidente do COI estaria se aproveitando politicamente da cidade a fim de promover a paz mundial, enquanto parte da opinião pública se mostra receosa a realização dos Jogos Olímpicos. Em sua petição, o grupo denomina a visita como "desonra aos hibakusha", se referindo aos sobreviventes da bomba atômica.

O oficial responsável por receber a petição disse que seria significativo se Bach puder compartilhar com o mundo o que ele viverá em Hiroshima. Simultaneamente, o vice-presidente do COI, o australiano John Coates, estará na cidade de Nagasaki, segundo local atingido pelos ataques nucleares dos Estados Unidos.

 

Estadão
Publicidade
Publicidade