PUBLICIDADE

Após recusar vacina contra covid-19, Gabriel Medina fica fora de etapa do Mundial de Surfe

Surfista não tomou imunizante oferecido pelo COB nos Jogos de Tóquio e, por isso, não poderá participar da competição em Teahupoo

5 ago 2021 13h38
| atualizado às 13h51
ver comentários
Publicidade

Gabriel Medina não estará presente na etapa do Mundial de Surfe realizada em Teahupoo, na Polinésia Francesa, pois não tomou a vacina contra a covid-19. Apesar de o Comitê Olímpico do Brasil (COB) ter disponibilizado doses do imunizante para todos os atletas que representam o País nos Jogos Olímpicos de Tóquio-2020, o surfista brasileiro decidiu não se imunizar e, por isso, não tem possibilidade de disputar a competição na ilha do Taiti.

Medina confirmou a informação em uma live nas redes sociais e mostrou seu descontentamento com a situação. "Eu não vou para Teahupoo, porque não tomei a vacina. Aí tem que fazer 10 dias de quarentena. Aí não dá tempo de ir do México para lá porque é uma seguida da outra. Vou ser obrigado a não ir, sacanagem", afirmou.

Por outro lado, Medina afirmou que pode descartar uma etapa do Mundial. Segundo ele, "(a situação) está de boa". Considerando a delegação brasileira que viajou ao Japão, 75% dos atletas se vacinaram, enquanto 25% preferiram não receber a dose. Eles eram livres para tomar a decisão. Os nomes e motivos das recusas não foram revelados pelo COB.

Apesar da ausência em Teahupoo, Medina é o líder da principal disputa do surfe, com 46.720 pontos à frente do campeão olímpico Italo Ferreira, que tem 33.555. A próxima etapa do campeonato ocorre no México, entre os dias 10 e 20 de agosto.

Depois disso, o brasileiro pula o evento na Polinésia Francesa e se dirige para Lower Trestles, na Califórnia, onde disputa a WSL Finals, novidade anunciada pela Liga Mundial de Surfe para essa temporada e que vai reunir os cinco primeiros surfistas do ranking com o objetivo de definir o campeão.

Nos Jogos Olímpicos de Tóquio, Medina ficou na quarta colocação depois de perder para o japonês Kanoa Igarashi na semifinal do torneio e para o australiano Owen Wright na disputa do bronze. O surfista não hesitou em expor sua discordância com a decisão dos árbitros e acredita que merecia um resultado melhor na competição.

Estadão
Publicidade
Publicidade