2 eventos ao vivo

Isabel Clark faz primeiro treino na pista oficial em PyeongChang

13 fev 2018
12h20
atualizado às 14h42
  • separator
  • comentários

Enquanto as Olimpíadas de Inverno seguem quentes, distribuindo medalhas desde o dia 8, e sacramentando recordes e atletas na história, o Brasil ainda espera para ver seus atletas estrearem. Mesmo sem ambição de medalhas ou disputas pelos melhores resultados, a pouca tradição brasileira nos Jogos não tira o foco e a ansiedade dos 10 representantes que em breve entrarão em ação em PyeongChang.

A snowboarder Isabel Clark é a brasileira com melhor resultado do país na história, após conseguir um nono lugar em Turim, em 2006. Nesta terça-feira, a atleta iniciou sua preparação na pista oficial onde será disputada a prova de snowboard cross, dia 15. "É uma pista muito grande e exigente. O padrão olímpico é muito mais elevado do que o das etapas Copas do Mundo. As pistas olímpicas são o mais espetacular possível, com saltos muito grandes e longos", disse.

Em sua quarta Olimpíada, a veterana ainda viu o teste da pista ser interrompido algumas vezes pelo vento forte. Voltando de uma lesão no pescoço desde o dia 21 de dezembro, Clark está confiante. "Por causa da lesão, eu vim construindo minha confiança aos poucos durante o treino. Foquei mais no primeiro setor, que já é bem complicado. O vento atrapalhou um pouco, principalmente nos saltos. O vento pode te empurrar muito ou frear antes do lugar ideal para o pouso. Tive que estar muito atenta a esses detalhes. Apesar disso tudo, foi um treinamento muito positivo", afirmou.

Aos 41 anos, a brasileira garantiu que esta será sua última participação nas Olimpíadas. Após os Jogos, ela continua disputando etapas da Copa do Mundo. "O snowboard é minha vida e me deu muita coisa, mas a preparação para os Jogos Olímpicos é muito dura. Estou feliz e tranquila com a decisão de parar agora", declarou.

Primeira final mista de curling da história terminou com Canadá campeão

Nunca antes o curling foi representado por uma dupla mista em Jogos Olímpicos. Na primeira edição dessa categoria, a final entre Canadá e Suíça foi de total domínio dos canadenses. John Morris e Kaitlyn Lawes deram uma verdadeira aula e venceram por 10 a 3. Os suíços Martin Rios e Jenny Perret não conseguiram segurar mais de dois ends de equilíbrio e deixaram os adversários abrirem uma vantagem muito difícil de reverter. O bronze ficou com a dupla Anastasia Bryzgalova e Alexander Krushelnitskiy, que defende a bandeira Atletas Olímpicos da Rússia

Com apenas 17 anos, atleta americana é a mais jovem a ser campeã do halfpipe

Quem vê a snowboarder Chloe Kim descendo o halfpipe não imagina que a norte-americana nasceu no ano 2000. A atleta é, hoje, a única mulher do mundo a conseguir executar a manobra 1080 e, nesta terça, passou a ser a mais jovem snowboarder a subir no lugar mais alto do pódio na modalidade. Com duas descidas quase perfeitas (a primeira com 93,75 e a segunda com 98,25, de 100 pontos possíveis), Kim garantiu, com folga, o ouro. Completaram o pódio a chinesa Jiayu Liu, com 89,75, e Arielle Gold, dos Estados Unidos, com 85,75.

Gazeta Esportiva Gazeta Esportiva

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade
publicidade