2 eventos ao vivo

Em crise, Inter recebe o Boca Juniors pelas oitavas da Libertadores

Time gaúcho está há cinco jogos sem vencer no Brasileirão e foi recentemente eliminado da Copa do Brasil

25 nov 2020
08h58
atualizado às 08h58
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator

Imerso na crise, o Internacional enfrenta o Boca Juniors nesta quarta-feira, às 21h30, no Beira-Rio, no jogo de ida das oitavas de final da Copa Libertadores. Diante do poderoso rival, a equipe gaúcha buscará recuperar a intensidade de jogo para reagir e não precisar decidir a série, na Argentina, em situação complicada.

O Internacional passou por uma mudança de técnico. Eduardo Coudet saiu. Foi para a Espanha treinar o Celta. Em seu lugar chegou Abel Braga, multicampeão pelo clube colorado. O conhecido treinador brasileiro, contudo, não conseguiu manter o bom desempenho da equipe. No Brasileirão, o time gaúcho está há cinco jogos sem vitórias. A sequência ruim tem gerado desconfiança em Porto Alegre e, nos últimos dias, o cenário só piorou.

Na semana passada, o Internacional foi eliminado nas quartas de final da Copa do Brasil. Perdeu nos pênaltis para o América-MG. Em seguida, foi derrotado para o Fluminense, no Beira-Rio, e se distanciou de Atlético-MG e Flamengo, líderes do Brasileirão.

Para reagir, o Inter deve apostar nas mudanças. O time ainda não poderá ter o técnico Abel Braga no banco de reservas por ter contraído o novo coronavírus. Quem estará à frente do elenco será o auxiliar Leomir. Uma troca certa acontece na zaga. Com Víctor Cuesta suspenso, Rodrigo Moledo, recuperado de lesão, vai a campo. Contundido, Rodinei não poderá ocupar a lateral direita, abrindo caminho para Heitor. Do lado oposto, segue Uendel, já que Moisés continua entregue ao departamento médico.

A equipe gaúcha também não terá três goleiros à disposição. Danilo Fernandes, Keiller e Daniel estão infectados pelo coronavírus. Isso fará com que Emerson Junior, de 20 anos, entre como opção no banco de reservas. Marcelo Lomba será titular.

Mas, se na formação da defesa não há muitas dúvidas, o que não faltam são incertezas e opções do meio para a frente. Rodrigo Dourado deve jogar no meio-campo, mesmo que tenha deixado o duelo contra o Fluminense reclamando de dores. Já Patrick é uma incógnita. Isso faz com que Caio Vidal, titular no fim de semana, fique de sobreaviso, assim como Yuri Alberto, o que poderia jogar mais recuado. Ainda há a disputa por uma vaga entre Rodrigo Lindoso e o recém-inscrito na Libertadores, Maurício. A escolha entre ambos os jogadores deverá determinar uma formação mais ofensiva ou cautelosa no Beira-Rio.

D'Alessandro e Thiago Galhardo devem liderar o setor ofensivo diante do Boca. Para o veterano argentino, de 39 anos, o duelo será o início da sua despedida do clube. Na última segunda-feira, ele comunicou que não vai permanecer na equipe ao fim da temporada, o que deve ampliar ainda mais a crise e o distanciamento entre torcedores e dirigentes.

Já Galhardo é um dos destaques do futebol nacional, em 2020. Ele acumula 21 gols em 43 jogos, algo que lhe rendeu, inclusive, uma convocação para a seleção brasileira. Na Libertadores, apesar de ter entrado sete vezes em campo, ele ainda não marcou.

O Boca Juniors também tem oscilado, mas confia na defesa, que só sofreu um gol na Libertadores, para voltar a Buenos Aires em cenário confortável. A equipe vem de duas derrotas no Campeonato Argentino, a última por 2 a 1 para o Lanús. O técnico Miguel Ángel Russo aguarda a recuperação de Eduardo Salvio, artilheiro do time na Libertadores, com três gols, para definir a escalação da equipe - Soldano será acionado caso o titular seja vetado pelos médicos. Além disso, o treinador deve apostar em Tévez e no colombiano Edwin Cardona para liderarem o time no Beira-Rio.

A partida de volta entre Inter e Boca foi agendada para a próxima quarta-feira, no estádio La Bombonera. E quem avançar às quartas de final terá pela frente o vencedor da série entre Racing e Flamengo.

Estadão
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade