0

Giovinazzi, da Alfa Romeo, marca retorno da Itália para F1

País não tinha um piloto entre os titulares do grid desde 2011

14 mar 2019
17h40
  • separator
  • comentários

O primeiro Grande Prêmio da temporada de 2019 da Fórmula 1 será disputado entre os dias 15 e 17 de março. Entre os 20 pilotos que começarão no grid, um deles marcará o retorno da Itália na principal categoria do automobilismo após oito anos: Antonio Giovinazzi, da Alfa Romeo.
    Natural de Martina Franca, na região da Púglia, Giovinazzi possui 25 anos de idade e disputará essa temporada como piloto titular da Alfa Romeo, fazendo dele o primeiro italiano titular no grid da F1 em oito anos.
    Na temporada de 2011, Jarno Trulli e Vitantonio Liuzzi foram os últimos pilotos italianos titulares que disputaram um GP de F1.
    Ambos deixaram a categoria após a prova do Brasil, em Interlagos.
    Em 2017, pela Sauber (atual Alfa Romeo), Giovinazzi disputou os dois primeiros GPs da temporada, na Austrália e no Bahrein. No entanto, o italiano estava apenas substituindo o alemão Pascal Werhlein.
    Em entrevista ao site "GPFans", o piloto de 25 anos está "feliz" e "orgulhoso", além de afirmar que está ansioso para o começo da temporada.
    "Finalmente, depois de oito anos, um piloto italiano vai voltar ao grid da F1 e estou orgulhoso de ser este italiano. Estou muito feliz e mal posso esperar para começar a temporada", declarou Giovinazzi, que foi terceiro piloto da Sauber nas últimas duas edições da categoria.
    Quando foi anunciado pela Alfa Romeo, o vice-campeão da GP2 de 2016 foi descrito como um piloto com "grande potencial" pelo chefe da escuderia, Frédéric Vasseur.
    Nos testes de pré-temporada, em Montmeló, a equipe de Hinwill deixou uma boa imagem. Com o tempo de 1m18s589, Giovinazzi conseguiu ser o mais rápido da sessão da manhã do primeiro dia da segunda semana dos treinos. Seu companheiro de equipe, Kimi Raikkonen, chegou a liderar o terceiro dia dos testes.
    A volta mais rápida de Giovinazzi na pré-temporada foi de 1m17s639, realizada no sétimo dia dos treinos. O italiano ficou na frente de Max Versttapen, da Red Bull Racing, Sergio Pérez, da Racing Point e de George Russell e Robert Kubica, ambos da Williams.
    "Os testes correram bem. Ainda não sabemos qual o nosso real potencial. Para isso teremos que esperar por Melbourne (Grande Prêmio da Austrália). Mas aparentemente temos um bom carro", afirmou o italiano.
    Giovinazzi e a Alfa Romeo voltarão para as pistas nesta sexta-feira (15), nos treinos livres do Grande Prêmio da Austrália, em Melbourne. Em 2017, no circuito australiano, o italiano terminou a corrida na 12ª posição.

Ansa - Brasil   

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade