PUBLICIDADE
Logo do

Seleção Brasileira

Meu time

Galvão exalta Seleção e alfineta CBF: Não se sabe quem manda

Assunto começou com o Maestro Júnior, que exaltou a força do time montado mesmo sem peças importantes que poderiam tornar o caminho da Seleção menos turbulento

3 ago 2021 08h54
| atualizado às 09h04
ver comentários
Publicidade

Galvão Bueno comemorou a sofrida classificação do Brasil, nos pênaltis, para mais uma final olímpica - a quinta seguida da Seleção - e exaltou o trabalho do tetracampeão mundial Branco, coordenador da base da CBF. O narrador citou ainda a 'confusão' vista na CBF como um entrave no caminho do ouro.

Maestro Júnior e Galvão exaltaram trabalho de Branco, coordenador da base da CBF (Lucas Figueiredo/CBF)
Maestro Júnior e Galvão exaltaram trabalho de Branco, coordenador da base da CBF (Lucas Figueiredo/CBF)
Foto: Lance!

O assunto começou com o Maestro Júnior, comentarista na transmissão da Globo que exaltou a força do time montado mesmo sem peças importantes que poderiam tornar o caminho da Seleção menos turbulento no torneio.

"Gostaria de exaltar o trabalho do Branco na base da CBF apesar dos jogadores que os clubes não liberaram. Você imagina agora o Pedro, que o Flamengo não liberou. O Vinicius Jr, o Rodrygo, Militão, Gabriel Jesus, o Gerson", disse o Maestro.

"Muito bom você destacar o trabalho do Branco, porque a CBF está em uma confusão tão grande, porque o presidente está afastado mundialmente do futebol, não é só no Brasil, como foram com os outros", iniciou Galvão.

O narrador continuou explicando a confusão na CBF. Landim e Carneiro foram nomeados interventores da entidade e assinaram o termo de confirmação em uma rápida sessão na 2ª Vara Cível da Barra da Tijuca.

Poucos minutos depois, no entanto, o Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro acatou o recurso da CBF e anulou a sentença que determinava intervenção na entidade que controla o futebol brasileiro. Rogério Caboclo segue afastado do comando da entidade após denúncias de assédio contra uma ex-secretária.

"Apareceu um seu Juiz que resolveu colocar um presidente de clube (Landim, do Flamengo) e um presidente de Federação (Paulista, Reinado Carneiro, no comando da CBF). Não se sabe quem manda. Ai (se exalta) o trabalho liderado pelo Branco, um grande jogador, campeão do mundo", concluiu Galvão.

Lance!
Publicidade
Publicidade