0

Vexame histórico do Flamengo deixa Domènec na corda bamba

Técnico já não conta com o apoio de vários dirigentes e conselheiros do clube

18 set 2020
08h49
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator

A goleada sofrida pelo Flamengo na noite dessa quinta (17) em Quito, onde perdeu para o Independiente del Valle por 5 a 0 – o resultado negativo mais elástico sofrido pelo clube na Libertadores -, deixou o técnico Domènec Torrent na corda bamba. Já são vários os dirigentes e conselheiros do Flamengo que defendem sua demissão, o que, por enquanto, não deve ocorrer. Por redes sociais, torcedores flamenguistas fazem coro pela saída dele.

Como o Flamengo ficou no Equador, local de seu próximo jogo pela Libertadores – na terça (22), enfrentará o Barcelona local, em Guayaquil -, nenhuma atitude mais severa está nos planos da diretoria, pelo menos até o meio da semana que vem.

Já há no Flamengo uma corrente favorável a dar adeus ao técnico Domènec Torrent (à direita) (Foto: Divulgação)
Já há no Flamengo uma corrente favorável a dar adeus ao técnico Domènec Torrent (à direita) (Foto: Divulgação)
Foto: Gazeta Esportiva

O vexame mergulha o Flamengo numa crise inimaginável para quem se acostumou a ver um time vencedor, um rolo compressor, desde julho de 2019, quando Jorge Jesus chegou à Gávea. A troca do português pelo técnico catalão, no mês passado, representou uma queda abrupta do rendimento do time, com atuações apagadas de seus principais jogadores e uma dinâmica de trabalho polêmica de Domènec Torrent.

Ele optou por efetivar um sistema de rodízio na escalação da equipe, barrando titulares de peso em

 alguns jogos, como já foi o caso de Gabigol, Arrascaeta, Gerson e Rodrigo Caio, por exemplo. Isso teve repercussão interna, com descontentamento de parte do grupo.

No mais, com apenas um mês de trabalho de Domènec, em 11 partidas disputadas, o Flamengo já sofreu o mesmo número de derrotas (4) de que Jorge Jesus em todo período no qual comandou o time – o técnico português conseguiu 43 vitórias e 10 empates, em 57 jogos.

Fonte: Silvio Alves Barsetti
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade