5 eventos ao vivo

Vasco decide mandar jogo de ida da final do Carioca no Engenhão

Decisão partiu da diretoria vascaína, que está irritada com o fato do Maracanã ficar sob o comando de Flamengo e Fluminense

9 abr 2019
17h59
atualizado às 17h59
  • separator
  • 0
  • comentários

A Federação de Futebol do Estado do Rio de Janeiro (FERJ) anunciou nesta terça-feira que o jogo de ida da final do Campeonato Carioca, entre Vasco e Flamengo, no próximo domingo, será realizado no Engenhão, às 16 horas. A entidade confirmou também que o local foi definido como palco do confronto a pedido dos vascaínos, que serão mandantes desta partida - o duelo de volta será no próximo dia 21, no Maracanã.

O estádio administrado pelo Botafogo foi escolhido para abrigar o primeiro embate entre flamenguistas e vascaínos depois de o governo do Estado do Rio ter anunciado, na semana passada, que cedeu a gestão temporária do Maracanã para Flamengo e Fluminense. Os dois rivais fizeram uma proposta conjunta para que pudessem gerir juntos o local.

O mais tradicional estádio do Brasil ficará nas mãos dos dois clubes por seis meses, a partir do próximo dia 19, e os times vão arcar com o custo mensal de administração, de aproximadamente R$ 2 milhões. Para usar o Maracanã, as demais equipes terão de pagar.

Neste período de seis meses, o governo do Rio vai abrir um processo de licitação para escolher um gestor por um tempo maior. Insatisfeito, o presidente do Vasco, Alexandre Campello, afirmou nesta terça-feira que vai entrar na Justiça contra a decisão do Estado, pois considera que os dois clubes foram favorecidos irregularmente.

"Acho que é indevida essa colocação de dar ao Flamengo e ao Fluminense a gestão do Maracanã. O Maracanã é um aparelho do povo, construído a um custo superior a R$ 1 bilhão, e deveria ser colocado em prol do futebol, em benefício do futebol e atendendo a todos os clubes do Rio de Janeiro, não apenas a um ou dois. Nós achamos muito estranha a maneira como tudo aconteceu, a maneira como se deu essa cessão de direito e nós vamos protestar isso na Justiça", disse o dirigente, ao chegar à sede da CBF, na Barra da Tijuca, para a posse do novo presidente da entidade, Rogério Caboclo.

Por causa da decisão do governo do Rio, o presidente vascaíno afirmou que o seu time só jogará em São Januário em suas partidas como mandante no próximo Campeonato Brasileiro, até mesmo nos clássicos. E isso só não vai acontecer neste próximo domingo porque, no Estadual, o regulamento exige que cada clube envolvido na decisão da competição tenha direito a 50% dos ingressos, o que torna o uso do estádio vascaíno inviável, tendo em vista a sua capacidade reduzida.

Estadão
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade