0
Logo do Liga dos Campeões
Foto: Terra

Liga dos Campeões

Tottenham e Liverpool defendem vantagens fora de casa por vagas nas semifinais

Times enfrentam fora de casa Manchester City e Porto para confirmarem a classificação à próxima fase

17 abr 2019
11h43
atualizado às 11h44
  • separator
  • 0
  • comentários

Depois de fazerem valer o fator campo com vitórias conquistadas nos duelos de ida das quartas de final da Liga dos Campeões, na semana passada, Tottenham e Liverpool voltam a campo nesta quarta-feira para defender suas vantagens nos dois confrontos que definirão os últimos classificados à próxima fase do torneio continental.

Após o triunfo por 1 a 0 em Londres, o time do técnico Mauricio Pochettino volta a encarar o Manchester City, agora no Etihad Stadium, onde a equipe dirigida por Pep Guardiola precisará vencer por dois gols de diferença para avançar às semifinais no tempo normal. Já os comandados de Jürgen Klopp atuarão em uma situação ainda mais confortável diante do Porto, no estádio do Dragão, em Portugal, onde poderão até perder por 1 a 0 após terem batido o rival por 2 a 0 em solo inglês. Os dois duelos começam às 16 horas (de Brasília).

Quem levar a melhor no embate em Manchester terá pela frente na próxima fase o Ajax, que nesta terça-feira eliminou a Juventus com uma vitória por 2 a 1, em Turim. Já o classificado do confronto envolvendo o Liverpool pegará o Barcelona, que despachou o Manchester United com uma vitória por 3 a 0, na Espanha.

Em meio a este panorama de ser obrigado a vencer para seguir vivo na competição, Guardiola tratou de tirar o peso do duelo e consequentemente das costas dos seus jogadores. "Não vim para cá (Manchester City) para ganhar a Liga dos Campeões", surpreendeu o treinador em entrevista coletiva nesta terça. "Vim aqui para fazer a equipe jogar da maneira que tem jogado nos últimos 20 meses. Foi por isso que vim", completou o espanhol.

Guardiola tentou tirar o peso que a Liga dos Campeões tem, mas revelou que tem o desejo de vencê-la como fez com o Barcelona no passado. "Adoro esses desafios. Esse é o meu desejo, mas no futebol mais se perde do que se ganha e tento sempre fazer o melhor", afirmou o comandante, que também confirmou a ausência do lateral-esquerdo ucraniano Oleks Zinchenko, mas revelou que o volante brasileiro Fernandinho, recuperado de lesão, treinou com o restante do grupo e estará à disposição.

No Tottenham, Pochettino procurou exibir um sentimento de orgulho antecipado pela campanha do seu time, independentemente de uma possível eliminação em Manchester. "Mas isso não significa que não vamos lutar", avisou o argentino, que também ressaltou: "Conseguir a vitória no jogo de ida foi um resultado incrível para nós".

Com uma lesão no tornozelo sofrida no duelo de ida, Harry Kane será o grande desfalque do time londrino, enquanto o meia Dele Alli, que se recuperou de uma lesão na mão esquerda, é dúvida na escalação. "Vamos decidir se ele inicia o jogo ou fica como opção no banco de reservas", despistou Pochettino.

Caso consiga a classificação, será a segunda vez em sua história que o Tottenham vai ficar entre os quatro melhores times da Europa. A outra foi em 1962, quando eliminou o time checo do Dukla Praga nas quartas de final, mas caiu nas semifinais diante do Benfica, do atacante português Eusébio e cia., que chegaria ao título ao bater o Real Madrid na decisão.

PORTO X LIVERPOOL

Em ótima situação para avançar às semifinais após a vitória por 2 a 0 no duelo de ida do mata-mata, o Liverpool não se ilude com a sua vantagem. E nesta terça Klopp minimizou o peso do fato de que o técnico do Porto, Sergio Conceição, chegou a dizer que "em muitos momentos, o Liverpool é talvez a melhor equipe do mundo". Além disso, o alemão conteve qualquer clima de euforia antecipada ao lembrar que o Liverpool ainda precisa confirmar o seu avanço à próxima fase do torneio continental.

"Quando foi isso? O que ele disse, exatamente? Nós somos o melhor time do mundo às vezes? Às vezes nós somos muito bons, isso é verdade, e espero que nós possamos mostrar isso de novo. Talvez eu possa entender um pouco do por que de ele dizer isso porque há momentos depois que ganhamos a (posse da) bola, ou momentos antes de ganharmos a bola, ou momento em que os meninos fazem algumas coisas, então isso (o time) parece muito, muito bom, o que é verdade, mas isso é praticamente tudo", afirmou o técnico, no estádio do Dragão, evitando colocar a sua equipe no máximo patamar do grupo dos melhores times do futebol mundial atualmente.

"Isso (que Conceição falou) é um elogio, mas nós ainda temos um trabalho muito duro a fazer amanhã - e provavelmente ele disse também que ainda acredita em suas chances. Ele disse isso? Sim, OK, então está tudo bem", completou Klopp, logo após fazer esse questionamento e um repórter confirmar que o português afirmou que, de fato, confia no avanço do Porto.

Pouco antes de o alemão conversar com os jornalistas, o treinador da equipe portuguesa ressaltou que projeta conquistar uma "virada histórica" nesta quarta-feira para ir às semifinais. E o comandante do Liverpool sabe que o ótimo momento do seu time, que também figura hoje na liderança isolada do Campeonato Inglês, pode começar a mudar em caso de uma eliminação neste duelo de volta na Cidade do Porto.

"Até agora essa é uma temporada muito positiva, e é por isso que nós estamos aqui, mas não estamos aqui para comemorar a nossa situação, nós estamos aqui para avançar à próxima fase porque a temporada não está encerrada", alertou o alemão, para depois destacar que o seu time vai ter de "lutar muito" contra um rival "que ganhou todos os seus jogos em casa até agora" nesta Liga dos Campeões.

Sergio Conceição admite que a missão de sua equipe é muito difícil, tendo em vista o alto poderio ofensivo do Liverpool. E caso o time inglês marque um gol, obrigará o seu rival a fazer no mínimo quatro para seguir vivo na competição continental, tendo em vista o maior peso das bolas na rede fora de casa para efeito de desempate em caso de igualdade no saldo.

"Não só pela desvantagem que temos. Nosso adversário tem uma saída muito rápida para o ataque. Tem uma dinâmica coletiva muito interessante e individualmente tem jogadores muito fortes", afirmou o técnico.

O Porto soma dois títulos da Liga dos Campeões. Foi campeão na edição 1986/1987 da competição, após derrotar o Bayern de Munique por 2 a 1 na final, e também ergueu a taça na temporada 2003/2004, ao superar o Monaco por 3 a 0 na decisão.

Estadão
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade