3 eventos ao vivo

Técnico russo desconversa e não confirma brasileiro na abertura da Copa

Stanislav Cherchesov preferiu não revelar o time que fará a estreia contra a Arabia Saudita

13 jun 2018
10h22
atualizado às 13h04
  • separator
  • comentários

Com semblante calmo e até com certa dose de humor, Stanislav Cherchesov, de 54 anos, disse que a seleção da Rússia está preparada para o primeiro jogo da Copa do Mundo de 2018, nesta quinta-feira, no estádio Luzhniki, em Moscou, contra a Arábia Saudita.

Na coletiva de imprensa realizada antes do jogo na arena que vai receber a abertura do Mundial, ele brincou até com um problema em seu microfone. "Não vou ser eletrocutado com isso, hein?", disse no meio da entrevista, aos risos. Ele também se divertiu com um repórter britânico que se apresentou como "James". "Você é o James Bond?", perguntou, arrancando sorrisos dos jornalistas.

Ao seu lado, o capitão e um dos mais experientes do time - Alexander Samedov também participou da entrevista -, Cherchesov falou sobre sua equipe, mas não quis adiantar os onze jogadores que começarão a partida contra os sauditas.

"Todos estão preparados para essa partida. Vamos ver quem é que vai começar o jogo", despistou o técnico. Ele citou o brasileiro Mario Fernandes. "Quando eu cheguei, ele estava machucado, mas se recuperou e tem treinado muito bem nos últimos dias. Ele pode começar jogando, sim", afirmou o técnico, muito elogiado por jornalistas poloneses - ele treinou o Legia Varsóvia por um ano antes de vir para seleção da Rússia.

Além de falar sobre sua equipe, o treinador, que nasceu na ex-república soviética da Ossétia, respondeu muitas perguntas sobre as expectativas em relação à participação russa na Copa. "Sabemos que representamos um povo. Todos os estádios estão prontos, está tudo preparado e entendemos que representamos uma nação. Vamos tentar fazer o melhor".

O técnico precisou responder uma série de perguntas sobre o nacionalismo, a expectativa dos russos, entre outras coisas, e sempre respondia da mesma forma, salientando que o elenco é formado "por pessoas normais", que até a hora do jogo "vão descansar, jantar, fazer o que quiserem".

O técnico disse ainda que sua seleção está fisicamente bem, comentou que acredita que seu grupo não é fácil como muitos pensam, mas que no Mundial todas as seleções são de muita qualidade, "senão não estariam presentes aqui". "Não existe isso. Todos trabalharam muito para chegar até aqui", afirmou. Sobre sua equipe, o técnico disse que o amistoso contra a Turquia mostrou que seu time está preparado. "Jogamos bem, fomos intensos. Mas vamos ter trabalho no primeiro jogo. A Arábia também jogou bem contra a Alemanha". "Fizemos uma ótima preparação. Repito: estamos preparados e vamos fazer o que sabemos."

Samedov, que nasceu em Moscou e é meio-campista, afirmou que o time está preparado. "Vamos fazer coisas normais entre hoje e amanhã [quinta], jantar, conversar um pouco... A preparação psicológica é muito importante. Tinha 22 anos no primeiro Mundial, agora estou muito mais tranquilo", disse o capitão de 33 anos, que no final da entrevista afirmou que sua seleção "vai ganhar a partida". "Estamos prontos. É só ganhar", repetiu.

No fim, o técnico ainda ouviu uma brincadeira de um jornalista russo, que disse que um importante artista do país havia prometido tirar a barba se a Rússia vencer o jogo. E ele, poderia raspar o bigode? "Com bigode, sem bigode, não importa. O que importa é que todos venham para o jogo, para a festa, e que possamos fazer um ótimo trabalho", finalizou, arrancando mais uma vez risos da sua plateia.

Estadão

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade
publicidade