0

CBF aposta na implosão da Liga Sul-Minas-Rio

28 out 2015
14h21
atualizado em 27/1/2016 às 13h03
  • separator
  • comentários

Mais do que deixar nas mãos das federações a decisão sobre a aprovação da Liga Sul-Minas-Rio, a CBF criou uma situação embaraçosa para a nova entidade ao excluir seu diretor executivo Alexandre Kalil das negociações e determinar que somente avalizará a liga se ela estiver de acordo com os estatutos da CBF, Conmebol e Fifa. Isso ficou claro na assembleia realizada nesta terça-feira (27) na sede da confederação.

CBF está tomando atitudes na tentativa de implodir a Liga Sul-Minas-Rio
CBF está tomando atitudes na tentativa de implodir a Liga Sul-Minas-Rio
Foto: Buda Mendes / Getty Images

Com essas medidas, a CBF espera pela ruptura da liga. Já tem know-how para tanto. Em 2010, insatisfeito com os rumos do Clube dos Treze, o então presidente da CBF Ricardo Teixeira articulou com sucesso o desmantelamento da entidade.  

A CBF quer anular a Sul-Minas-Rio por entender que o movimento de clubes se projeta como embrião de uma liga nacional. E conta com pelo menos um trunfo, a fim de dar um caráter legalista à sua estratégia. De acordo com o estatuto da CBF, as competições só podem ser realizadas se constarem do calendário nacional. O de 2016 já foi divulgado e a Copa Sul-Minas-Rio não está lá.

Sem se expor publicamente, vários presidentes dos 15 clubes da liga afirmaram em recente reunião que a CBF lançou um calendário capenga no final de agosto a fim de se antecipar e não incluir o torneio que esses clubes prometem disputar no início do ano que vem. Ao contrário do que costuma ocorrer, a confederação não anunciou conjuntamente o calendário com a agenda do futebol feminino e o das categorias de base.  

Para a opinião pública, a CBF quer passar a impressão de que vê com simpatia a criação da liga. O discurso, porém, é rechaçado pelos fundadores da nova entidade, cientes de que o presidente da confederação, Marco Polo Del Nero, trabalha nos bastidores contra esse agrupamento de grandes clubes.

"Eles vão fazer de tudo para nos esvaziar, impondo todos os obstáculos possíveis. Mas vamos nos sobrepor a isso e realizar a primeira edição da copa em 2016", disse ao Terra o presidente de um dos grandes clubes que compõem a liga.

 

Fonte: Terra

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade