0

Sem Guerrero, Peru busca classificação à Copa contra a Nova Zelândia

14 nov 2017
20h09
atualizado em 15/11/2017 às 11h42
  • separator
  • comentários

Quebrar um jejum que dura 37 anos. Essa é a missão do Peru que recebe a Nova Zelândia nesta madrugada de quarta para quinta-feira, às 00h15 (de Brasília), no Estádio Nacional, em Lima, capital peruana, pela rodada de volta da repescagem das Eliminatórias para a Copa do Mundo de 2018, que será disputada na Rússia. O time sul-americano não disputa um Mundial desde a edição de 1982, realizada na Espanha.

No confronto de ida, na Nova Zelândia, os times empataram sem gols e quem ganhar agora estará na próxima Copa do Mundo, sendo que igualdade a partir de 1 a 1 serve aos representantes da Oceania, já que os tentos anotados como visitante valem para critério de desempate. Novo 0 a 0 forçará a prorrogação e, persistindo a igualdade, a vaga será decidida nos pênaltis.

Ricardo Gareca, argentino que dirige a seleção peruana, fala em se impor. "Para nós é uma grande final, vale o trabalho de quatro anos e o sonho que cada um de nós está colocando nas carreiras. Não podemos pensar na possibilidade de ficarmos de fora da Copa do Mundo. Temos até mesmo o aspecto social como entusiasmo. As crianças peruanas voltaram a acreditar no futebol do maís. Temos que nos impor desde o primeiro minuto", alertou Gareca.

Anthony Hudson, comandante da Nova Zelândia, admite que vai adotar uma postura defensiva. "O Peru vai tomar a iniciativa do confronto. Temos que jogar com inteligência, esperando a hora certa de decidirmos. Um gol nosso em um contra-ataque nos garante no Mundial da Rússia", disse Hudson.

Os dois times vão manter as bases do primeiro jogo, sendo que o Peru segue sem poder contar com seu principal jogador, o atacante Paolo Guerrero, do Flamengo, suspenso por doping.

A seleção peruana, que busca disputar a sua quinta Copa do Mundo, se garantiu na repescagem ao terminar as Eliminatórias sul-americanas na quinta posição. Já Nova Zelândia se credenciou por ganhar a disputa na Oceania, único continente que não dá uma vaga direta ao torneio. Os neozelandeses tentam participar de sua terceira Copa, sendo que a última foi em 2010, na África do Sul.

Gazeta Esportiva Gazeta Esportiva

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade
publicidade