PUBLICIDADE

Gustavo Scarpa pede penhora da rescisão de Willian Bigode com o Fluminense

Meia, hoje no Atlético-MG, solicita à Justiça o bloqueio de mais de R$ 5 milhões do atacante, referente à recisão com o clube carioca

13 jun 2024 - 00h42
(atualizado às 07h27)
Compartilhar
Exibir comentários
Foto: Pedro Souza / Atlético - Legenda: Gustavo Scarpa defende atualmente o Atlético / Jogada10

Nesta quarta-feira, (12), o "caso das criptomoedas" envolvendo Gustavo Scarpa e Wililan Bigode ganhou um novo capítulo. Isso porque o meia, hoje no Atlético-MG, solicitou à Justiça o bloqueio de mais de R$ 5 milhões do atacante, referentes à rescisão do jogador com o Fluminense.

Os advogados do meio-campista citam, na petição, que Willian tem direito a receber R$ 7.209.265,88 do Tricolor das Laranjeiras pelo término do contrato entre as partes, em 18 de janeiro deste ano. E que, deste valor, a Justiça deve retirar R$ 2.188.491,18 por decisão da 14ª Vara Cível do TJ-SP a fim de dar compensar financeira ao lateral-direito Mayke, do Palmeiras, que também foi vítima.

Desse modo, sobrariam R$ 5.020.774,70, valor que Scarpa pede bloqueio e posterior depósito em conta judicial, "a fim de garantir eventual execução/cumprimento de sentença".

A defesa de Scarpa entende, ainda, que o montante "não irá comprometer a renda familiar" de Willian, em razão do patrimônio construído pelo atacante no decorrer de sua carreira profissional.

O juiz Danilo Fadel de Castro, da 10ª Vara Cível do TJ-SP, será o responsável por julgar o pedido de Scarpa.

Scarpa teve prejuízo de R$ 6.300.000,00 ao fazer investimentos na operadora de criptomedas Xland. Isso ocorreu após indicação da WLJC Consultoria e Gestão Empresarial, empresa a qual um dos sócios é Willian Bigode. As outras sócias da empresa de aconselhamento financeiro são sua esposa, Loisy, e Camila Moreira.

Por outro lado, Mayke requer o valor de R$ 8.514.365,64, já com correção e atualização em outubro do ano passado.

O "caso das criptomoedas" se arrasta na Justiça de São Paulo desde 2022. na ocasião, Gustavo Scarpa, Mayke e Bigode eram companheiros de equipe no Palmeiras.

Siga o Jogada10 nas redes sociais: TwitterInstagram e Facebook.

Jogada10
Compartilhar
Publicidade
Seu Terra












Publicidade