7 eventos ao vivo

São Paulo e Corinthians podem ameaçar domínio financeiro de Palmeiras e Flamengo

De acordo com César Grafietti, São Paulo e Corinthians têm potencial para encostar nas receitas arrecadadas pelos adversários; Grêmio corre por fora

17 jul 2019
04h42
  • separator
  • 0
  • comentários

O que ocorreu com Palmeiras e Flamengo há alguns anos, com presidentes focando na redução de suas dívidas e correndo atrás no mercado de novos investidores, acontece atualmente com o Grêmio. Os dirigentes do time gaúcho se esforçaram para honrar as despesas e aparecem como o clube com maior pagamento de débitos de 2018: R$ 79 milhões.

Essa gestão credencia o Grêmio a chegar perto dos números de Palmeiras e Flamengo, que concentraram 24% das receitas dos principais clubes brasileiros em 2018. Mas os gaúchos têm "menor capacidade de gerar receitas" do que os concorrentes, de acordo com César Grafietti, consultor do Itaú BBA. Para ele, os times com maior potencial para ameaçar a dupla alviverde e rubro-negra são Corinthians e São Paulo.

"O Grêmio vai ser um concorrente em mais uns dois anos. Hoje já é um clube organizado e vai se estabilizar em uma condição distante de Palmeiras e Flamengo, pois a capacidade de gerar receitas é menor do que os outros por ter a restrição regional. É do Sul. Mas é um clube que, com capacidade financeira, vai conseguir montar elencos fortes e rivalizar com os outros dois", disse o consultor.

"Acho que quem tem potencial são Corinthians e São Paulo. Eles têm torcidas concentradas em regiões mais ricas do Brasil. São clubes 'mais nacionais'. Os mais regionalizados enfrentam dificuldades em crescer. Por isso, precisam ser mais eficientes. A capacidade de gerar receita é menor, então precisam ser eficientes na gestão de receita para conseguir o desempenho", acrescentou.

Em 2018, São Paulo (R$ 399 milhões), Corinthians (R$ 389 milhões) e Grêmio (R$ 381 milhões) são os três clubes que aparecem na cola de Palmeiras e Flamengo no montante de receitas. Apesar de a diferença ser grande entre os blocos, Grafietti acredita que os times vão encostar nos primeiros colocados.

"Acho que Palmeiras e Flamengo não vão se perpetuar no topo. Outros vão se organizar, especialmente São Paulo e Corinthians. Penso que eles vão encostar. Imagino que teremos quatro ou cinco clubes iguais", afirmou.

Veja outras respostas do consultor:

Por que Palmeiras e Flamengo estão tão acima dos outros clubes?

Eles fizeram um trabalho de recuperação e hoje colhem o que foi plantado há cinco ou seis anos. Não dá para acontecer isso do dia para a noite. Tem de organizar para depois ver o resultado. O (ex-presidente do Flamengo) Eduardo Bandeira de Mello sofreu bastante com as críticas, porque o time não ganhava, mas estava se organizando. Agora, ele entrou em uma estrutura capaz de ganhar jogos, e só vai ter esse círculo virtuoso encerrado se houver muitos erros administrativos seguidos.

O Palmeiras está tão à frente por causa do patrocínio da Crefisa?

O nível de receitas do clube é equilibrado e não há nenhuma concentração relevante. O clube também consegue obter retorno dos seus torcedores, com receitas de bilheteria e sócio-torcedor expressivas.

O Palmeiras corre risco por ter sido o clube que teve maior despesa no ano (R$ 442 milhões, 43% a mais do que em 2017)?

Vemos os números do Palmeiras em manutenção, mesmo com o aumento expressivo de custos e despesas.

Estadão
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade