PUBLICIDADE

Santos estuda parceria com a Portuguesa para mandar jogos no estádio do Canindé

Andres Rueda, presidente do clube santista, fez comentários sobre a possibilidade de um acordo para usar o local por até cinco anos, em reunião do comitê de gestão

15 jun 2022 - 09h48
(atualizado às 10h10)
Ver comentários
Publicidade

O Santos estuda a possibilidade de firmar uma parceria com a Portuguesa para mandar alguns de seus jogos no estádio do Canindé, na capital paulista. O assunto foi discutido pelo comitê de gestão alvinegro na reunião do dia 23 de maio, com a pauta sendo colocada em questão pelo presidente Andres Rueda.

"O presidente fez comentários sobre a possibilidade de parceria com a Portuguesa de Desportos para utilização do estádio do Canindé pelo período de 3 a 5 anos, mediante contrapartidas", diz a ata da reunião, sem maiores informações.

Esta não é a primeira vez que o uso do Canindé é cogitado pela cúpula santista, mas o estádio acabou sendo preterido pela falta de estrutura para receber os torcedores. O local atualmente passa por uma revitalização, sendo pintado internamente, visando a disputa da Copa Paulista.

Com o Pacaembu passando por reformas, o Santos ainda busca uma solução para as partidas na capital. A discussão voltou à tona após o veto do São Paulo ao uso do Morumbi para a partida contra o Deportivo Táchira, da Venezuela, pela volta das oitavas de final da Copa Sul-Americana, no dia 6 de julho. A Conmebol exige no mata-mata o uso de estádios com capacidade superior a 20 mil torcedores. A Vila Belmiro comporta pouco mais de 15 mil fãs.

O Santos havia apresentado o Morumbi como opção para o jogo da competição sul-americana, mas a diretoria do São Paulo alegou que jogaria em seu estádio pelo mesmo torneio apenas um dia depois do rival, e teme o desgaste do gramado. A solução foi marcar o jogo para a Arena Barueri, que supera os 31 mil lugares.

A possibilidade de atuar em alguns de seus jogos em São Paulo também tem impacto direto nos cofres do Santos. O clube teve um lucro de R$ 686 mil no empate sem gols contra o Ceará, no dia 21 de maio, pelo Brasileirão. O valor é quase o mesmo arrecadado pelo time da Baixada durante toda a temporada, em seus jogos na Vila Belmiro. Entretanto, alguns torcedores reclamaram nas redes sociais da dificuldade no acesso ao estádio, fazendo com que a diretoria volte a cogitar o Canindé.

Enquanto ainda busca uma solução, o Santos volta a campo no sábado, quando enfrenta o Red Bull Bragantino, às 21h, na Vila Belmiro, pelo Campeonato Brasileiro.

Estadão
Publicidade
Publicidade