2 eventos ao vivo

Santista foge de "comparação injusta" com Daniel Alves

14 fev 2018
08h05
  • separator
  • comentários

As boas atuações de Daniel Guedes neste início de 2018 pelo Santos renderam comparações com Daniel Alves, do PSG-FRA, no veículo italiano "Premium Sport". O lateral-direito, porém, não se empolga com a notícia.

"A comparação é muito injusta. Daniel Alves é o melhor do mundo, ganhou tudo. Se eu chegar a 15% do que ele foi, já está ótimo. Sou um jovem buscando meu espaço. Ser comparado a ele é muito bom, fico feliz, mas estou muito longe dele. Todo atleta tem sonho de jogar na Europa. Ver que estão acompanhando é bom, mas estou feliz no Santos e quero buscar meu espaço e construir uma história aqui", disse o ala à Rádio Santos.

Em entrevista ao Premium Sport, Guedes revelou o desejo em atuar no futebol italiano no futuro. O Menino da Vila se atrai pela disposição tática da competição.

"Eu sempre vejo o futebol italiano e eu realmente gosto. A maneira como eles jogam taticamente é uma ótima lição para mim. Eu tento aprender e melhorar e eu estudo muito o futebol italiano. Jogar na Itália seria um grande passo na minha carreira, mas hoje eu trabalho para encontrar meu espaço no Santos e crescer", explicou.

Antes de se firmar no Peixe com três assistências em dois jogos, Daniel Guedes precisou ter paciência. Ele nunca teve e ainda não tem status de titular por causa de Victor Ferraz, escalado entre os 11 desde 2015, e que se recupera de luxação no ombro direito. Persistente, o jovem fará o jogo de número 50 pelo alvinegro contra o São Caetano, nesta quarta-feira, às 19h30 (de Brasília), na Vila Belmiro, pela sétima rodada do Campeonato Paulista.

"Tem sido um início de ano maravilhoso. Estou conseguindo ajudar a equipe com boas atuações e assistências para gols. Isso tem me dado ainda mais confiança para evoluir e ter uma sequência cada vez melhor. Completar 50 jogos em um clube como

o Santos é um privilégio e posso dizer que sonhei muito com esse momento desde que cheguei aqui", afirmou.

"Futebol é dinâmico, sempre treinei muito, tive paciência, ciente de que as coisas dariam certo. E o começo de ano está sendo muito bom para mim. Penso no coletivo primeiramente e precisamos de vitórias, mas estou feliz pelo meu momento. As oportunidades estão parecendo enquanto Victor Ferraz está lesionado e eu busco aproveitar. É bom para o Santos ter dois laterais que vão dar conta do recado", concluiu.

Gazeta Esportiva Gazeta Esportiva

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade
publicidade