0

Saiba o que está em jogo para os brasileiros na última rodada da Libertadores

Times têm nesta semana definições como vaga nas oitavas, primeiro lugar do grupo ou melhor campanha geral

7 mai 2019
11h44
atualizado às 11h44
  • separator
  • 1
  • comentários

Os sete times brasileiros que disputam a fase de grupos da Copa Libertadores entram em campo nesta semana com diferentes preocupações. Enquanto quatro clubes desfrutam a tranquilidade de já estarem classificados para as oitavas de final, o Atlético-MG cumpre tabela, pois não tem mais chances de avançar, e outros dois participantes dependem dos próprios resultados para confirmarem passagem às oitavas de final.

A vaga na próxima fase dá aos clubes brasileiros diferentes benefícios. Fora o prestígio de aparecer entre os melhores do continente e de manter vivo o sonho do título e a participação no Mundial de Clubes, a simples presença nas oitavas de final garante um prêmio de R$ 4 milhões pago pela organização e a possibilidade de lucrar com a bilheteria como mandante de um dos jogos dessa etapa. Confira abaixo a situação de cada um dos brasileiros:

Flamengo

O clube carioca é quem vive a situação de maior cobrança. Mesmo após o título estadual, o time do técnico Abel Braga precisa corresponder à expectativa de ter um elenco rico e badalado. Na quarta-feira, no Uruguai, a equipe rubro-negra enfrenta o Peñarol e precisa somente de um empate para avançar. No entanto, o Flamengo pode ser eliminado caso perca o jogo e a LDU derrote em Quito o San José, da Bolívia.

Grêmio

O tricampeão da Libertadores chega à última rodada na segunda posição do grupo e com a comodidade de ter um confronto direto em casa. Na Arena Grêmio, o time de Renato Gaúcho recebe a Universidad Católica, do Chile. Os dois estão empatados em sete pontos, porém o Grêmio está à frente por ter um saldo de gols melhor. A equipe gaúcha se classifica, portanto, com um empate, mas dará adeus se perder. Nesse grupo o Libertad, do Paraguai, já está garantido como primeiro colocado.

Inter

Tranquilo, classificado e em primeiro lugar. O Inter vai sem pressão alguma para a última rodada, nesta terça-feira, contra o River Plate, na Argentina. Apesar de jogar contra o atual campeão, o time gaúcho não perderá a primeira posição da chave. O adversário também já está classificado, o que faz a partida ser mais para cumprir tabela e também para definir a posição de ambos na pontuação geral da competição.

Atlético-MG

O líder do Campeonato Brasileiro vai à última rodada da fase de grupos da Copa Libertadores já sem chance de classificação. Com uma campanha ruim, o Atlético-MG se despede da competição diante do também já eliminado Zamora, em jogo que será nesta terça-feira, na cidade de Barinas, na Venezuela. O encontro, portanto, é uma disputa direta pelo terceiro lugar, que recebe o direito de participar ao menos na próxima fase da Copa Sul-Americana. O Atlético-MG precisa vencer. O Zamora joga pelo empate.

Cruzeiro

A ambição do time do técnico Mano Menezes nesta última rodada é fechar a fase de grupos como o único participante da Libertadores com 100% de aproveitamento. Com cinco vitórias em cinco jogos, a equipe está garantida no primeiro lugar da chave e recebe na quarta-feira no Mineirão o Emelec, do Equador. Se ganhar, o Cruzeiro confirma a comodidade de decidir sempre em Belo Horizonte os confrontos do mata-mata.

Palmeiras

O atual campeão brasileiro está classificado para as oitavas de final e decide somente se avança em primeiro lugar do grupo. Para isso, o Palmeiras tem um confronto direto no Allianz Parque, na quarta-feira, contra o concorrente direto, o San Lorenzo, da Argentina, que também já está com vaga confirmada. O time do técnico Luiz Felipe Scolari garante a melhor campanha da chave com um empate.

Athletico-PR

Mesmo com jogo na quinta-feira contra o Boca Juniors, em La Bombonera, a equipe está tranquila e já classificada para a próxima fase. Com nove pontos, seguido pelo rival argentino, que tem oito, o Athletico-PR precisa de um empate para confirmar a primeira posição da chave. O Boca precisa de uma vitória para não depender do outro resultado. Jorge Wilstermann, da Bolívia, e Tolima, da Colômbia, se enfrentam e precisam além de vencer de goleada, torcer por derrota do Boca.

Estadão
  • separator
  • 1
  • comentários
publicidade