0

Réver acredita que vitória do Atlético-MG com reservas mostra a força do grupo

Técnico Levir Culpi optou por usar time alternativo por conta de compromisso pela Libertadores no meio de semana

2 fev 2019
22h58
atualizado às 22h58
  • separator
  • comentários

De volta ao Atlético-MG e com a chance de reviver a dupla campeã da Copa Libertadores de 2013 ao lado de Leonardo Silva, o zagueiro Réver enalteceu a importância da vitória por 2 a 0 sobre o Guarani, neste sábado, no estádio Independência, em Belo Horizonte, pela quinta rodada do Campeonato Mineiro.

"Mostrou a força do grupo, mesmo porque o objetivo era a vitória. Alguns jogadores atuaram improvisados e deram conta do recado e outros garotos também ganharam rodagem. Agora é buscar a primeira vitória na Copa Libertadores", lembrou o zagueiro em relação à partida de ida da segunda fase preliminar da Libertadores diante do Danubio, nesta terça-feira, em Montevidéu, no Uruguai.

O atacante Alerrando tinha um duplo motivo para festejar: marcou o primeiro gol como profissional e soube antes do jogo sobre o nascimento de sua primeira filha, que deve se chamar Manoela. "Estou super feliz. Espero continuar crescendo aqui no clube porque minha família depende de mim".

Carlos César, improvisado na lateral esquerda, considerou o jogo importante para ganhar ritmo. "Além da gente sentir a energia da torcida porque este ano nós temos grandes objetivos".

O lateral-direito Guga, ex-Avaí, atuou pela primeira vez durante os 90 minutos e agradeceu o apoio dos companheiros. "Todos têm me ajudado. No último treino eu fiz muitos cruzamentos, com a ajuda tanto do Réver como do Léo, e em campo deu tudo certo, inclusive o passe pra o primeiro gol. A tendência é melhorar e espero ter minha chance", concluiu.

Para o técnico Levir Culpi, o importante era mesmo vencer. Mas achou importante como a vitória aconteceu, lembrando que com um "time sem entrosamento, nós controlamos bem o jogo. Alguns jogadores estão mostrando que têm condições de ficar no elenco. E foi uma preparação para nosso jogo lá no Uruguai".

O treinador confirmou que a base na estreia na Libertadores vai ser outra, com aqueles jogadores preservados neste jogo diante do Guarani. E já imagina muitas emoções na estreia. "É como uma final de campeonato. Espero uma situação física muito acirrada porque vale a rivalidade Brasil e Uruguai. Como é time uruguaio, o pau vai cantar. Vai ser mesmo jogo da Libertadores", previu Levir Culpi.

A delegação embarca neste domingo em voo fretado para a capital uruguaia. O jogo de volta vai ser realizado no próximo dia 12, em Belo Horizonte.

Estadão
  • separator
  • comentários
publicidade