0

Presidente do Vasco critica Zezé Perrella: 'Ele é um dos que calados são poetas'

Alexandre Campello criticou comparação feita com Vasco e Portuguesa, que caíram à Série B

3 dez 2019
15h17
  • separator
  • 0
  • comentários

A vitória por 1 a 0 sobre o Cruzeiro, na segunda-feira, em São Januário, deixou o Vasco mais perto de uma vaga na Copa Sul-Americana e colocou o time mineiro em situação desesperadora na luta contra o rebaixamento à Série B. Depois da partida, o presidente do clube carioca, Alexandre Campello, não perdeu a chance de criticar o gestor de futebol e presidente do Conselho Deliberativo do Cruzeiro, Zezé Perrella, que no mês passado comparou a equipe com o próprio Vasco e a Portuguesa, que já caíram de divisão.

"O Vasco não precisa provar nada. O Cruzeiro é um grande clube, mas o Zezé Perrella perdeu uma grande chance de ficar calado. Talvez ele seja mais um daqueles exemplos que, como diria o senador Romário, calado é um poeta", disse Campello, em entrevista coletiva. "Devia se preocupar mais com as questões pessoais dele e com o próprio Cruzeiro e não tecer comentários sobre o Vasco", completou.

Perrella, que já havia se retratado com o Vasco depois da declaração dada à TV Alterosa, tentou se explicar novamente. "Só passam o que querem. O Vasco é grande e brigava todo ano para ser campeão. Eu comparei a situação do Cruzeiro com a do Vasco. O Vasco não teve gestões muito felizes e há muitos anos não briga por título, mas não é por causa dessa diretoria. Eu comparei inclusive o Cruzeiro com o Vasco. Eu respeito a instituição Vasco, um clube centenário, com uma das maiores torcidas do Brasil, mas o que está acontecendo no Cruzeiro aconteceu no Vasco. Várias gestões desastradas", finalizou.

Outra questão abordada por Campello foi sobre o jogo contra a rebaixada Chapecoense, neste domingo, às 16 horas, pela última rodada, ser transferido de São Januário para o Maracanã, estádio que é administrado pelos rivais Flamengo e Fluminense. O dirigente disse que havia um evento marcado para o local no mesmo dia, mas que já foi cancelado.

"Queremos brindar a torcida com o último jogo contra a Chapecoense no Maracanã. Já foi solicitado para a CBF. Nós consultamos o Maracanã. Existia um evento, mas foi cancelado, de forma que não existe impedimento. Para mim, está definido. Já conversei com a CBF, Bepe (Polícia Militar) e Ferj", afirmou o presidente.

Estadão
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade