4 eventos ao vivo

Presidente do Santos diz que há "cinco ou seis times" atrás de Rodrygo

23 mai 2018
11h51
  • separator
  • comentários

Rodrygo voltou a estampar manchetes de jornais da Espanha nesta quarta-feira. Além de informações sobre o interesse do Barcelona-ESP, os periódicos relatam a procura do Manchester City-ING e do PSG-FRA. O presidente do Santos, José Carlos Peres, comenta a situação.

"O Rodrygo é a estrela hoje, o futebol tem raríssimas joias. É um jogador talentoso, todos sabem disso, nós temos um referencial do Vinicius Jr que já foi vendido com 17 anos. Nós não podemos fazer transações, mas existe interesses, temos cinco ou seis times grandes que já desejam fazer negócios com o Santos. A questão do Barcelona é um dos interessados, mas não abrimos negociação, porque é uma irresponsabilidade, a FIFA não permite", disse Peres, em entrevista coletiva nesta quarta-feira, em São Paulo.

Conforme publicado pela Gazeta Esportiva, o contrato assinado por Rodrygo no Santos vale até 2022, porém, para a FIFA, o primeiro acordo profissional só pode ter duração de três anos. Dessa forma, o atacante, na prática, tem vínculo por mais duas temporadas e poderia sair de graça em 2020. Peres nega.

"Está fora de questão, desconheço o o contrato que ele fez por cinco anos, mas só vale três. Qualquer tipo de aliciamento será anunciado e tem que respeitar o clube. Nada é de graça, tudo tem alguma coisa por trás, que é o investimento e qualificação. Ninguém vai tirar o Rodrygo de graça", prometeu.

O presidente do Santos ainda afirmou que não há qualquer reunião marcada com o Barcelona por Rodrygo. De acordo com o "Sport" e o "Mundo Deportivo", o clube enviou um diretor ao Brasil. As prioridades do Peixe são outras.

"Não há reunião marcada. Nós temos um processo contra o Barça sobre o Neymar. Há quatro meses do Mundial de 2011, o Barcelona adiantou um dinheiro sobre a transação, entendemos que houve um aliciamento. Ele disputou um Mundial de Clubes praticamente vendido ao Barcelona. Houve influência no garoto, ele tentou ganhar, mas não dá para exigir do ser humano, ele já estava com a cabeça lá. O Barcelona tem que nos pagar quatro milhões e meio de euros de um amistoso também. O Santos achou que foi enganado, não recebeu 10 milhões de euros também, além dos quatro e meio citado. Quando o Barça pagar, vamos discutir sobre outras coisas", concluiu.

Gazeta Esportiva Gazeta Esportiva

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade
publicidade