0

Presidente da AFA vê voto da CBF como traição em encontro da Conmebol

14 jun 2018
07h41
  • separator
  • comentários

O descumprimento do pacto firmado entre federações sul-americanas por parte do presidente da CBF, Coronel Nunes, na votação para eleger a sede da Copa do Mundo de 2026 não repercutiu bem entre os cartolas que estão na Rússia. Nesta quinta-feira, o presidente da AFA (Associação Argentina de Futebol) criticou duramente o sucessor de Marco Polo Del Nero, categorizando o ato como "traição".

Na última quarta-feira, Coronel Nunes acabou votando no Marrocos para sediar o Mundial de 2026, no entanto, todas as federações que fazem parte da Conmebol já haviam acordado que votariam na candidatura tripla composta por México, EUA e Canadá.

"Não me pareceu bom o que fez o Brasil. Havíamos combinado de votar nos Estados Unidos e eles não honraram a sua palavra. A simpatia, às vezes, leva a traição. Quando os homens fazem um acordo, precisam cumprir", disse Claudio Tapia, presidente da AFA.

Mesmo com o descumprimento da CBF, a candidatura tripla acabou vencendo a disputa com Marrocos, e, desta forma, a Copa do Mundo de 2026 será realizada nos EUA, México e Canadá. Nesta quinta-feira, em encontro com os demais cartolas de federações sul-americanas, Coronel Nunes não apareceu, sendo substituído por Rogério Caboclo, presidente eleito, mas que só tomará posse em abril de ano que vem.

O temor agora é que clubes brasileiros sejam prejudicados em competições sul-americanas pela Conmebol em decorrência da "traição" de Coronel Nunes. Complicações com a arbitragem e questões relacionadas à logística dos times na Libertadores e Sul-Americana são as principais dores de cabeça de quem acompanha os bastidores.

Gazeta Esportiva Gazeta Esportiva

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade
publicidade