0

Prass aponta para necessidade de encontrar um equilíbrio defensivo

19 jun 2017
11h05
  • separator
  • comentários

O Palmeiras venceu sua primeira partida fora de casa nesta edição do Campeonato Brasileiro. A goleada por 4 a 2 sobre o Bahia, na Arena Fonte Nova, foi muito celebrada pelos palmeirenses, mas o goleiro Fernando Prass ainda aponta um aspecto negativo no triunfo: o desequilibro defensivo.

Se a o Verdão ainda não havia marcado gols longe do Palestra Itália, nas quatro derrotas que sofreu em apenas sete jogos, o Alviverde conseguiu anotar quatro tentos, mas acabou sofrendo dois, o que é um motivo de preocupação para o arqueiro.

"As falhas acontecem. Mas a gente tem que acertar mais do que erra. Hoje fomos mais eficientes, fizemos quatro gols e sofremos dois gols. Óbvio que o ideal é ter uma segurança defensiva maior. Nosso time tem características ofensivas, os laterais apoiam bastante, o Mina sabe sair jogando. A nossa vocação é ofensiva, mas óbvio que temos que encontrar um equilíbrio. Com tempo e sequência de jogos vamos conseguir", disse o camisa 1.

Após a derrota para o Santos, no último meio de semana, Cuca defendeu a atuação do Palmeiras frente ao Peixe, destacando a postura da equipe de buscar o resultado até o final e as chances criadas. O resultado contra o rival foi o quarto negativo em apenas sete jogos, o que fez a pressão se tornar ainda maior para a equipe conquistar uma vitória frente ao Bahia.

"Existia muita pressão e sempre vai existir, na parte debaixo ou de cima da tabela. Não foi na hora certa, não, já deveria ter acontecido antes. Só que estamos vendo o equilíbrio do campeonato, a tabela se achatando, o pessoal debaixo venceu. Vai ser um campeonato muito equilibrado. O jogo seguinte para a gente é o mais importante. De oito rodadas, jogamos cinco fora, e os dois clássicos que tiveram foram fora. Quem fez a tabela não cuidou desses detalhes".

Por fim, Prass falou sobre a importância do apoio do torcedor palmeirense mesmo longe da Arena. Contra o Bahia, o público total superou as 30 mil pessoas e os alviverdes, presentes em bom número, fizeram muito barulho para a apoiar o time.

"A gente não vem muitas vezes jogar no Nordeste, e temos uma torcida muito fiel aqui. Você vê que a parte do Palmeiras no estádio estava superlotada, mesmo com chuva. Não sei o preço do ingresso, mas o país está em dificuldade… A gente sabe o que representa para eles. Acho que é importante ter essa interação com a torcida, principalmente quando vence e está todo mundo feliz", finalizou o arqueiro, que já havia creditado o triunfo contra o Fluminense à torcida.

Gazeta Esportiva Gazeta Esportiva

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade
publicidade