0

Oliver Kahn sai em defesa de Joachim Low após derrota da Alemanha

14 out 2018
15h24
atualizado às 15h24
  • separator
  • comentários

Se Joachim Low já não era mais unanimidade na Alemanha depois da eliminação precoce ainda na primeira fase da Copa do Mundo da Rússia, a derrota por 3 a 0 para a Holanda no último sábado, pela Liga das Nações, deixou sua situação no comando técnico dos tetracampeões mundiais ainda mais delicada. Ainda assim, há quem defenda a continuidade do treinador, inclusive um ídolo da seleção: Oliver Kahn.

Conhecido pela carreira de títulos e lembrado pela torcida brasileira por conta da Copa do Mundo de 2002, o ex-goleiro saiu em defesa de Low e contrariou as críticas feitas por um ex-companheiro de seleção alemã: Michael Ballack. De acordo com Kahn, esse não é o momento para criticar o trabalho e, sim, para apoiar. Mesmo assim, ponderou que é necessária uma mudança de postura.

"Não acho que o que ele (Ballack) disse ajude em alguma coisa nesse momento, pelo contrário. Agora é muito fácil criticar. Depois de um fracasso sempre aparecem pessoas para falar demais. Para mim, é importante como todo o projeto será desenvolvido e quais serão as perspectivas da seleção alemã para o futuro. Mas claro que os jogadores, especialmente os campeões do mundo, devem cumprir seu papel de líderes", disse.

O revés sofrido para a Holanda não caiu nada bem na imprensa alemã, que dividiu as críticas entre o treinador e parte dos jogadores, principalmente os "campeões mundiais", como disse o próprio Kahn. Atletas como Boateng, Muller e Hummels foram os principais alvos dos veículos esportivos locais, principalmente pela falta de liderança a fim de liderar um processo de renovação pelo qual a seleção tetracampeã mundial passa.

Com o resultado do último sábado, a Alemanha estacionou no único ponto que possui em dois jogos pela Liga das Nações e ficou na lanterna do grupo. Tempo para lamentar, porém, é o que o time não terá, já que volta a campo na próxima terça-feira, novamente pela competição de seleções da Uefa, para medir forças com a França.

Gazeta Esportiva Gazeta Esportiva

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade