PUBLICIDADE

Na reestreia de Ceni, São Paulo tropeça no Ceará e amarga sexto empate seguido

Ídolo tricolor viu um bom jogo de sua equipe, que criou muitas oportunidades, mas se expôs demais e não conseguiu quebrar série de empates no Brasileirão

14 out 2021 21h24
| atualizado às 21h24
ver comentários
Publicidade

Nem o retorno de Rogério Ceni como técnico foi capaz de ajudar o São Paulo a ponto de quebrar a sequência de tropeços. No primeiro jogo da segunda passagem do ex-goleiro pelo Morumbi para substituir Hernán Crespo, o time tricolor empatou por 1 a 1 com o Ceará em casa na noite desta quinta-feira e amargou o sexto empate consecutivo no Brasileirão, marca negativa que nunca havia atingido em sua história. Fabinho abriu o placar para os cearenses e Calleri, em lance de oportunismo, foi o autor do gol são-paulino.

A série inédita de igualdades impede o São Paulo de progredir na tabela do Brasileirão. Após 26 jogos, soma 31 pontos e ocupa o 13º lugar, ainda próximo da zona de rebaixamento e distante da zona de classificação à Libertadores. O Ceará aparece na sequência, com 30 pontos, em 14º. O próximo desafio do time de Ceni é o clássico com o Corinthians, segunda-feira, às 20h, no Morumbi. No domingo, às 18h15, o time cearense recebe o Red Bull Bragantino na Arena Castelão.

Da beira do gramado, Ceni viu uma boa atuação ofensiva de seus comandados, com grande volume de jogo, especialmente no primeiro tempo. Mas o São Paulo se expôs demais, teve de correr muito para conseguir o empate e só não saiu de campo derrotado graças a Tiago Volpi, que salvou os donos da casa no Morumbi com ao menos três defesas importantes. O resultado não foi bom para ninguém, mas os 9.271 torcedores no Morumbi assistiram a um jogo de bom nível técnico, aberto, com intensidade e muitas finalizações. Ao todos, foram 36 arremates dos dois times.

Escalado com uma formação ofensiva por Ceni, apenas com Liziero como volante, Benítez de volta ao time e Orejuela na lateral direita, o São Paulo fez um bom primeiro tempo. Mas faltou equilíbrio e capricho nas finalizações. O time criou chances em profusão para abrir o placar. No entanto, se expôs e o Ceará aproveitou uma das poucas oportunidades que teve para marcar. Foi um roteiro semelhante a de jogos recentes, sob o comando de Crespo.

Igor Gomes levou perigo em chute colocado que obrigou Richard a fazer boa defesa e também em arremate na trave. O São Paulo teve grande volume de jogo, mas não teve sorte em alguns momentos nem efetividade no ataque. Isso sobrou ao time cearense, que fez Volpi trabalhar com Kelvyn e balançou as redes aos 22 minutos. Fabinho foi o autor de um golaço no Morumbi. Ele pegou rebote da entrada da área e bateu de primeira, no ângulo direito.

Os donos da casa se mostraram tensos após levar o gol. Ainda assim, construíram boas tramas ofensivas para ao menos empatar. Calleri cabeceou por cima do gol após escanteio e Luciano, depois, teve três chances. Nos acréscimos, quase veio um castigo para o time de Ceni. Cléber cabeceou forte após cruzamento de Vina, mas Tiago Volpi salvou a equipe com o auxílio da trave.

O roteiro seguiu quase o mesmo no segundo tempo. O Ceará, aproveitando os espaços deixados pelo rival, chegou mais vezes no contra-ataque, mas não marcou o gol ou gols que sacramentariam um triunfo importante fora de casa. Cléber recebeu o cruzamento rasteiro de Marlon na área e teve em seus pés a oportunidade de fazer 2 a 0, mas Volpi, tão criticado por falhas recentes, apareceu novamente para evitar o segundo dos cearenses. Esse lance ocorreu aos dois minutos.

O São Paulo respondeu aos seis minutos, enfim com efetividade, graças ao oportunismo de Calleri. O atacante argentino aproveitou falha de Luiz Otávio, que havia entrado no intervalo, e finalizou para a defesa de Richard. O goleiro soltou o rebote nos pés do argentino, que estava atento e mandou para as redes.

Da área técnica, Ceni, ex-goleiro histórico, viu o atual titular da meta são-paulino se agigantar mais vezes. Volpi mostrou que superou as críticas, fez mais um bom jogo e foi um dos protagonistas da partida. Aos 27, fez uma linda defesa em arremate colocado de Erick.

O time tricolor cansou. Desgastou-se muito na construção das jogadas e na marcação do adversário e o nível técnico caiu a partir da metade da etapa final. O Ceará conseguiu armar contragolpes perigosos, mas que não foram bem concluídos. Cléber, por exemplo, saiu na cara de Volpi, mas se enrolou com a bola na hora de finalizar e preferiu rolar para trás. A equipe cearense interessado no empate e no fim comemorou o ponto somado fora de casa.

FICHA TÉCNICA

SÃO PAULO 1 X 1 CEARÁ

SÃO PAULO - Tiago Volpi, Orejuela (Welington), Miranda, Léo e Reinaldo (Rodrigo Nestor); Liziero, Igor Gomes (Vitor Bueno), Gabriel Sara e Benítez (Eder); Luciano (Marquinhos) e Calleri. Técnico: Rogério Ceni.

CEARÁ - Richard; Igor, Messias (Luiz Otávio), Gabriel Lacerda e Bruno Pacheco; Fabinho (William Oliveira), Marlon e Vina; Mendoza (Erick), Cléber (Jael) e Kelvyn (Fernando Sobral). Técnico: Evandro Fornari.

GOLS - Fabinho, aos 22 minutos do primeiro tempo. Calleri, aos seis minutos do segundo tempo.

ÁRBITRO - Paulo Cesar Zanovelli da Silva (MG)

CARTÕES AMARELOS - Fabinho, Miranda, Richard, Orejuela, William Oliveira

PÚBLICO - 9.271 torcedores

RENDA - R$ 333.135,00

LOCAL - Estádio do Morumbi.

Estadão
Publicidade
Publicidade