0

Maior driblador da Libertadores, Everton faz história no Grêmio e pode ir para a Itália

Com grande atuação diante do Palmeiras, atacante é o terceiro maior artilheiro gremista; Milan está de olho nele

28 ago 2019
10h20
atualizado às 15h14
  • separator
  • 0
  • comentários

Artilheiro da Copa América e xodó da seleção brasileira, o atacante Everton voltou a ser decisivo pelo Grêmio e mostrou porque ele é uma das principais revelações do futebol brasileiro nos últimos anos. Autor de um gol e da jogada que resultou no segundo, fazendo fila na defesa do Palmeiras, Everton Cebolinha fez mais do que se esperava dele no jogo: dribles e arrancadas que se transformaram em situações de perigo para o adversário o tempo todo. Frieza e disposição. Ele foi o principal responsável pela eliminação do Palmeiras em pleno Pacaembu, revertendo a derrota sofrida no Rio Grande do Sul (1 a 0) e garantindo o triunfo por 2 a 1, de virada nesta terça-feira.

Com atuação memorável, o atacante de 23 anos está entre os três maiores goleadores do Grêmio na história da competição continental. Nos profissionais desde 2014, Everton marcou pela 10ª vez em 33 jogos pelo clube na Libertadores, empatando no ranking com Rodrigo Mendes. Agora, Cebolinha pode ultrapassar seu companheiro Luan (12 gols) e mira o recorde que pertence a Jardel. O campeão continental com o Grêmio em 1995 balançou as redes 16 vezes em 20 atuações.

Sua trajetória individual também move a própria história do Grêmio, que se tornou o maior semifinalista da Libertadores entre os brasileiros, ao lado do São Paulo. O time ganhou do Palmeiras pela primeira vez na história dentro do Pacaembu e virou, também de forma inédita, uma derrota em mata-mata sofrida dentro de casa.

Nesta edição da Libertadores, o camisa 11 reafirma sua característica principal: o drible. É o jogador que mais dribles certos deu no torneio sul-americano deste ano nas disputas individuais com os zagueiros. Após a partida contra o Palmeiras, são 51 dribles certos de Everton nesta temporada em dez partidas. O segundo colocado é Cazares, do Atlético-MG, já eliminado na competição, com 29 fintas. No Pacaembu, Cebolinha quase que encarou a defesa palmeirense sozinho, ja que ficou isolado na frente em alguns momentos da disputa.

O assédio dos clubes europeus seguramente vai aumentar com a classificação à semifinal - o Grêmio aguarda o vencedor da decisão entre Inter e Flamengo. Everton tem contrato até dezembro de 2022 e multa contratual de 80 milhões de euros (R$ 369 milhões). Os direitos sobre o jogador estão divididos da seguinte forma: Grêmio (50%), Gilmar Veloz (30%), Fortaleza (10%) e o empresário Celso Rigo (10%).

O Milan é o principal interessado em Cebolinha. A janela de transferência para a Itália, por exemplo, se encerra no dia 2 de setembro. O Arsenal, da Inglaterra, fez uma consulta ao estafe do jogador para saber das condições de negócio e estuda apresentar uma proposta para contratar o atacante na próxima janela - no mercado inglês, a janela foi fechada no dia 8 de agosto. Enquanto essa iminente transferência para a Europa não acontece, Everton vai ajudando seu Grêmio a chegar mais longe nas competições. O time está vivo na Libertadores, Copa do Brasil e Campeonato Brasileiro.

Estadão
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade