1 evento ao vivo

Levir Culpi garante que Atlético-MG não sofreu pressão para garantir vaga

Alvinegro vai à fase de grupos da Libertadores após empate com o Defensor-URU, por 0 a 0

28 fev 2019
00h46
atualizado às 00h46
  • separator
  • 0
  • comentários

Levir Culpi foi enfático na entrevista coletiva: o Atlético-MG não sofreu nenhum perigo no Independência. No empate burocrático contra o Defensor-URU em 0 a 0, nesta quarta-feira, o time brasileiro chegou a ficar com um jogador a menos depois que Zé Welison foi expulso no início do segundo tempo e o goleiro Victor trabalhou em pelo menos duas defesas. Como venceu o primeiro jogo por 2 a 0, o clube mineiro avançou para a fase de grupos da Libertadores.

"Não teve muita graça, a gente não correu risco nenhum, não teve graça. A verdade é essa. A gente ficou devendo, mas também não sofreu. Só que importante é que a gente avançou e está na Libertadores", avaliou o treinador, que seguiu: "Libertadores é isso ai que vocês estão vendo, a gente passou no aperto no primeiro jogo (contra o Danubio-URU) e agora também. É claro que a gente pode passar mais tranquilo, sem todo esse sufoco. Eu acho que podemos fazer melhor, jogar melhor e dar mais tranquilidade para o nosso torcedor".

Sempre muito sincero nas entrevistas, Levir confessou que já tinha planejado substituir Zé Welison com 15 minutos do segundo tempo, mas tudo foi por água abaixo quando ele fez uma falta dura no meio de campo, recebeu o segundo cartão amarelo e deixou o time com um jogador a menos logo com 10 minutos.

O treinador reconheceu o vacilo: "Eu na verdade ia tirar o Zé (Welison) com 15 minutos. Isso na minha cabeça, só eu sei disso, porque eu estava com medo justamente do amarelo. E eu vacilei. Poderia ter tirado antes e a gente não teria esse sufoco. Mas tudo bem, quem entrou, entrou bem, a gente não passou sufoco. E é assim, no Atlético-MG é assim, se avançar tem que ser na raça, faz parte. Agora, vamos entrar preparados para o que vem".

Com um jogador a menos, o treinador teve que sacar Luan e Ricardo Oliveira para recompor a marcação com Jair e Chará. "Ninguém esperava era a expulsão e aí fica difícil mesmo, muda completamente o jogo. Mas se considerarmos que as chances de gol foram mínimas, a gente não sofreu em nenhum momento", encerrou Levir Culpi.

O Atlético-MG tem folga do Campeonato Mineiro e só volta a campo na próxima quarta-feira, às 19h15, contra o Cerro Porteño em Belo Horizonte, pela primeira rodada da fase de grupos da Libertadores.

Estadão
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade