PUBLICIDADE

Sérvia pede punição a Shaqiri por uso de casaco de grupo paramilitar do Kosovo: entenda a polêmica

Meio-campista pode ser punido novamente por conta de polêmica com o Kosovo e a Sérvia; Suíça discorda e defende o jogador

11 out 2021 19h45
ver comentários
Publicidade
Torcedor colocou casaco de grupo paramilitar do Kosovo em Shaqiri (Foto: Reprodução)
Torcedor colocou casaco de grupo paramilitar do Kosovo em Shaqiri (Foto: Reprodução)
Foto: Lance!

O meio-campista Xherdan Shaqiri, do Lyon, voltou a protagonizar mais um acidente diplomático entre Sérvia, Suíça e Kosovo. Neste sábado, o jogador concedia entrevista após a vitória dos suíços contra a Irlanda do Norte por 2 a 0 quando um torcedor invadiu o campo e colocou no meia um casaco do KLA, Exército de Libertação do Kosovo.

Após o torcedor colocar o casaco no jogador, Shaqiri riu e o retirou. Ainda assim, o jornal Corriere dello Sport afirma que Jovan Surbatovic, secretário-geral da Federação Sérvia de Futebol, irá pedir uma punição ao meio-campista à Fifa.

- Exigimos uma resposta imediata e as mais duras sanções contra Shaqiri por promover uma organização terrorista criminosa. A Federação da Sérvia irá usar todos os mecanismos legais ao seu dispor para retirar os responsáveis deste episódio do futebol - disse Surbatovic.

Apesar da fala de Jovan Surbatovic, a Federação Suíça de Futebol defendeu Xherdan Shaqiri das acusações feitas pelos sérvios em nota publicada nas redes sociais.

- É inaceitável que as pessoas abusem de uma entrevista pós-jogo para fazer propaganda política. Shaqiri comportou-se de forma exemplar, o culpado do episódio foi questionado pela polícia e foi imediatamente banido - publicou em nota.

ENTENDA A POLÊMICA:

Shaqiri, apesar de jogar pela Suíça, nasceu no Kosovo em 1991, quando o país ainda era uma província sérvia com a maioria de sua população sendo de origem albanesa. Ainda com um ano de idade, a família do jogador fugiu da região.

O KLA é um grupo paramilitar de rebeldes kosovares que lutaram pela independência do Kosovo em relação à Albânia entre os anos de 1990 e 1999. Em seu auge, o grupo chegou a ter um total de 18 mil soldados, e já foi considerado terrorista, sendo acusado de cometer crimes de guerra contra a população sérvia e outras minorias étnicas.

Shaqiri protagonizou polêmica em comemoração (Foto: Divulgação)
Shaqiri protagonizou polêmica em comemoração (Foto: Divulgação)
Foto: Lance!

Na Copa do Mundo de 2018, em partida entre Suíça e Sérvia, Shaqiri e Granit Xhakha colocaram o Kosovo e a Albânia em outro acidente diplomático com os sérvios na comemoração de seus gols na vitória por 2 a 1.

A comemoração feita pelos dois jogadores da Suíça simbolizou a águia negra de duas cabeças, presente na bandeira da Albânia, com as mãos, além de simbolizar a língua para o lado. A Sérvia ainda não reconhece o Kosovo como um país independente. O país declarou independência de forma unilateral em 17 de fevereiro de 2008.

Na época, os dois meio-campistas foram multados pela Fifa e pagaram 8.660 euros cada.

Lance!
Publicidade
Publicidade