PUBLICIDADE

'Treinar o Liverpool é um sonho, mas a fila estará cheia', afirma Steven Gerrard

Em boa fase no comando do Rangers, da Escócia, ex-jogador fez questão de exaltar o trabalho de Jurgen Klopp

29 dez 2020 09h45
| atualizado às 09h45
ver comentários
Publicidade

Steven Gerrard está no melhor momento de sua curta carreira como técnico: o Rangers lidera o Campeonato Escocês com 16 pontos de vantagem para o arquirrival Celtic e está no mata-mata da Liga Europa. Com isso, é natural que os torcedores imaginem que o ex-meio-campista poderá voltar ao Liverpool como técnico no futuro. Gerrard, no entanto, mantém a expectativa baixa para tal.

"Recebo bastante essa pergunta e, para mim, o que será, será. Se eu amaria ser o técnico do Liverpool um dia, se é um sonho? É claro. É um clube que significa tudo para mim, mas nós temos um dos melhores treinadores do mundo, se não o melhor, que tem sido absolutamente incrível desde que chegou, e o sucesso que ele entregou nos últimos dois anos colocou o Liverpool em um lugar fantástico. Que isso continue por muito tempo", afirmou Gerrard sobre o alemão Jürgen Klopp em entrevista a Alan Shearer para o site The Athletic.

'Treinar o Liverpool é um sonho, mas a fila estará cheia', afirma Steven Gerrard.
'Treinar o Liverpool é um sonho, mas a fila estará cheia', afirma Steven Gerrard.
Foto: Divulgação/Rangers / Estadão

E quando Klopp sair? Ainda assim, Gerrard evita fazer previsões. "É muito difícil prever o futuro. Só porque eu fui um bom jogador pelo Liverpool e tive a carreira que tive lá, isso não significa necessariamente que eu sou o próximo na fila para ser o técnico. Você sabe disso e eu sei disso. Se um dia o cargo estiver disponível, haverá uma fila de um quilômetro, cheia de treinadores de primeira classe. (O passado pelo clube) Não significa que você seja a melhor pessoa para o cargo", opinou o ídolo do Liverpool.

Gerrard jogou no Liverpool entre 1998 e 2015, período em que foi fundamental para conquistas de Liga dos Campeões, Liga Europa e copas domésticas. No entanto, deixou o clube sem um título do Campeonato Inglês, o que poderia alcançar caso volte à equipe como técnico.

Estadão
Publicidade
Publicidade