0
Logo do Liga Europa
Foto: terra

Liga Europa

Hazard desequilibra, Chelsea goleia Arsenal e leva Liga Europa

Partida foi disputada no Estádio Olímpico de Baku, no Azerbaijão

29 mai 2019
17h54
atualizado às 18h04
  • separator
  • comentários

O Chelsea é o campeão da Liga Europa. Nesta quarta-feira, no Estádio Olímpico de Baku, no Azerbaijão, os Blues colocaram o Arsenal na roda no segundo tempo, contaram com o brilho de seu camisa 10 Eden Hazard e golearam o rival por 4 a 1. Giroud, Pedro e Hazard, duas vezes, marcaram para os comandados de Maurizio Sarri, que venceu seu primeiro título como treinador. Iwobi descontou para os Gunners.

Os primeiros 45 minutos foram de equilíbrio em Baku. Depois de um início equilibrado, o Arsenal tomou para si o domínio e criou duas boas chances. Em uma delas, Aubameyang aproveitou a sobra, mas errou o alvo. Em outra, Xhaka arriscou de longe e a bola raspou no travessão. Na reta final, o Chelsea reagiu e teve a melhor chance da primeira etapa, mas Giroud parou em Peter Cech.

Hazard comemora gol do Chelsea sobre o Arsenal
Hazard comemora gol do Chelsea sobre o Arsenal
Foto: Phil Noble / Reuters

Depois de perder grande chance, Giroud precisou de apenas três minutos no segundo tempo para se redimir. Após cruzamento de Emerson Palmieri, o atacante francês testou firme, no canto, sem chances para Peter Cech, e abriu o placar a favor do Chelsea. Ainda deu tempo de Pedro ampliar, Iwobi diminuir e Hazard, com dois gols, coroar o título com uma goleada sobre o rival.

O JOGO

Início truncado, digno de uma final entre dois ingleses

Os primeiros minutos da decisão no Estádio Olímpico de Baku seguiram o roteiro da maioria das finais, principalmente quando se trata de dois ingleses frente a frente: truncados. Enquanto o Chelsea tentou a tomada de iniciativa com a posse de bola, fiel a estratégia de seu treinador, o Arsenal apostava nas estocadas rápidas, utilizando a velocidade de seus dois atacantes, Aubameyang e Lacazette.

E foi justamente o atacante gabonês quem criou a primeira chance da partida. Aos oito minutos, em boa trama ofensiva do Arsenal pelo lado direito, Auba tabelou com Maitland-Niles, que cruzou com força. Após corte esquisito do goleiro Kepa, a bola sobrou com Aubameyang no meio da área, mas o arremate do camisa 14 saiu sem direção pela linha de fundo.

Times se soltam e obrigam os goleiros a trabalharem

Aos poucos, o jogo até então truncado foi ficando mais aberto e os times passaram a criar mais chances claras de gol, principalmente o Arsenal. Aproveitando os espaços deixados pelo Chelsea, principalmente dos lados do campo, os Gunners assustaram Kepa em duas oportunidades, mas a falta de pontaria prevaleceu. Em uma tentativa pelo meio, Xhaka arriscou de fora da área e a bola raspou no travessão.

A resposta do Chelsea veio apenas aos 33 minutos. Hazard, até então apagado, conseguiu grande jogada individual pelo lado esquerdo e, com um lindo toque de calcanhar, deixou Emerson Palmieri cara a cara com Cech. O lateral ítalo-brasileiro encheu o pé, mas parou no goleiro, em sua última partida como atleta profissional antes de se tornar dirigente dos Blues.

A melhor chance do primeiro tempo ficou para o final e terminou com linda defesa de Peter Cech. Aos 38 minutos, em novo lance brilhante de Hazard, a bola ficou com Jorginho, que rolou para Giroud. De perna esquerda, o atacante francês bateu rasteiro, de primeira, e obrigou o goleiro do Chelsea a fazer uma defesa excepcional, espalmando para a linha de fundo.

Segundo tempo agitado e com show de gols em Baku

Depois de terminar o primeiro tempo melhor, o Chelsea voltou para a segunda etapa com o mesmo ímpeto e precisou de apenas três minutos para abrir o placar. Emerson Palmieri recebeu na intermediária e cruzou na cabeça de Giroud que, depois de errar tudo nos 45 minutos iniciais, fez valer o instinto artilheiro e testou no canto, sem chances para Peter Cech.

Atrás no placar, o Arsenal passou a se expor mais e, ao mesmo tempo, deixou espaços no sistema defensivo, que o Chelsea aproveitou aos 14 minutos. Em arrancada pela esquerda, Hazard tocou para Pedro que, da entrada da área, finalizou de primeira e ampliou a vantagem dos Blues. Pouco depois, Giroud foi derrubado dentro da área e na cobrança de pênalti Hazard fez o terceiro.

A desvantagem de três gols obrigou o treinador unai Emery a mudar o time e colocar jogadores mais ofensivos: Guendouzi e Iwobi. E a estrela do meio-campista nigeriano brilhou logo em seu primeiro toque na bola. Aproveitando a sobra, Iwobi emendou um lindo chute da entrada da área e diminuiu. A alegria, no entanto, durou apenas três minutos, até Hazard, após completar cruzamento de Giroud, tornar a vitória uma goleada.

Arsenal tenta, mas Chelsea se defende bem e garante o título

Com uma goleada nas costas para reverter, o Arsenal batalhou, criou chances, uma delas com o jovem Willock, que perdeu cara a cara com Kepa, mas não conseguiu sequer diminuir o placar. Enquanto isso, o Chelsea, com seu forte sistema defensivo liderado por David Luiz, jogador com mais conquistas europeias dos Blues, apenas controlou o jogo a fim de confirmar a taça.

Ainda deu tempo de Hazard deixar o campo ovacionado pelos torcedores presentes em Baku. Aos 43 minutos, Maurizio Sarri decidiu tirar seu camisa 10 para colocar Zappacosta. No fim, o belga, em sua possível despedida do Chelsea, viu o apito final do banco de reservas.

FICHA TÉCNICA

CHELSEA 4 x 1 ARSENAL

Local: Estádio Olímpico, em Baku (Azerbaijão)

Data: 29 de maio de 2019, quarta-feira

Horário: 16h00 (de Brasília)

Árbitro: Gianluca Rocchi (Itália)

Assistentes: Filippo Meli (Itália) e Lorenzo Manganelli (Itália)

VAR: Massimiliano Irrati (ITA)

GOLS:

Chelsea: Giroud, aos 3 minutos do 2T; Pedro, aos 14 minutos do 2T; Hazard, aos 19 e 26 minutos do 2T;

Arsenal: Iwobi, aos 23 minutos do 2T

Cartão amarelo: Pedro (Chelsea), Andreas Christensen (Chelsea)

CHELSEA: Kepa Arrizabalaga; César Azpilicueta, Andreas Christensen, David Luiz e Emerson Palmieri; Jorginho, Mateo Kovacic (Barkley), Kanté, Pedro (Willian) e Eden Hazard (Zappacosta); Olivier Giroud

Técnico: Maurizio Sarri

ARSENAL: Petr Cech; Sokratis Papastathopoulos, Laurent Koscielny e Nacho Monreal (Guendouzi); Ainsley Maitland-Niles, Lucas Torreira (Iwobi), Granit Xhaka, Sead Kolašinac, Mesut Özil (Willock); Pierre-Emerick Aubameyang e Alexandre Lacazette

Técnico: Unai Emery

Veja também:

Gazeta Esportiva Gazeta Esportiva
  • separator
  • comentários
publicidade