Sem CR7 e Messi, quem assumirá o protagonismo na Liga dos Campeões?

Lewandowski, Neymar, Mbappé e Haaland buscam título na competição para escrever o nome na história

5 abr 2021
15h10 atualizado às 17h40
0comentários
15h10 atualizado às 17h40
Publicidade

Juntos, Cristiano Ronaldo e Messi polarizaram as atenções do mundo do futebol por mais de uma década. A seu modo e com estilos diferentes, eles ofuscaram os concorrentes e transformaram o protagonismo do esporte mais popular do planeta em um duelo particular. Dono de um estilo rompedor e uma eficiência ímpar de finalização, o português, que atualmente defende a Juventus, tem no currículo cinco títulos da Liga dos Campeões. Na mesma trilha, o argentino empilhou quatro taças do torneio mais importante da Europa conduzindo o Barcelona com a sua genialidade e habilidade circense.

Mas, a atual edição da competição reservou surpresas com as eliminações de seus dois principais astros. A precoce e surpreendente saída da Juventus diante do Porto nas oitavas de final abriu caminho para essa renovação. Com a queda do Barcelona para o Paris Saint-Germain na mesma fase do torneio, essa troca de bastão ganhou ainda mais força.

E agora, a partir das quartas de final, que começam nesta terça-feira, a pergunta é sobre quem são os candidatos ao trono deixado pelos dois jogadores. Nesta lista surgem quatro nomes que já têm brilho próprio, mas buscam uma sequência de grandes conquistas.

O polonês Lewandowski, o francês Mbappé, o brasileiro Neymar e o caçula do grupo Haaland, do longínquo futebol norueguês, postulam a vaga de destaque não só da competição, mas também de referência mundial.

Nesta semana, as quartas de final apresentam o jogo de ida de todos esses personagens. E um dos confrontos que chama a atenção é Bayern de Munique x Paris Saint-Germain, reedição da final do ano passado da Liga dos Campeões quando os alemães levaram a melhor.

Com uma lesão no joelho direito, Lewandowski deve ficar fora das duas partidas do mata-mata. O tamanho do desfalque é estratosférico. Principal jogador do time, ele ajudou a comandar a classificação sobre a Lazio nas oitavas da Liga com duas vitórias nos dois confrontos. De quebra, deixou a sua marca de artilheiro nos dois jogos. Assim, o polonês conta com a superação de sua equipe para chegar às semifinais do torneio quando deverá estar recuperado e pronto para voltar a campo.

Mais velho entre os candidatos de destaque da Liga dos Campeões, o centroavante, de 32 anos, teve um retrospecto avassalador na temporada 2019/2020 e desbancou CR7 e Messi com a conquista de melhor jogador do mundo. Além da invejável marca de 59 gols no ano, suas atuações ajudaram o Bayern a faturar a última Liga dos Campeões, a Bundesliga e o Mundial de Clubes, entre outros títulos.

Pelo lado do PSG, a notícia gira em torno do retorno de Neymar. Recuperado de lesão no músculo adutor da coxa esquerda, ele reforça o ataque da equipe francesa.

O brasileiro tem a chance de, enfim, confirmar o que dele se espera desde a sua transferência do Santos para o futebol espanhol. Aos 29 anos, e num PSG mais estruturado, ele precisa se mostrar decisivo nesses jogos eliminatórios para arrebatar um título de Liga dos Campeões sem estar à sombra de Messi. Na última temporada, o objetivo foi interrompido justamente pelo Bayern de Lewandowski.

Às voltas com contusões, ele acabou longe dos holofotes, mas continua como um nome com potencial para brigar pelo posto de melhor jogador do torneio. "Confio na nossa capacidade de vencer a Liga e quero escrever o meu nome na história do clube", falou o brasileiro sobre o crescimento do PSG no cenário europeu.

Já seu companheiro Mbappé está em alta no clube e assumiu, na ausência de Neymar, o papel de protagonista. Contratado como um jogador promissor, o francês ganhou destaque pela sua eficiência e bom futebol no PSG. Não por acaso, está na mira do Real Madrid. Muito desse interesse tem origem no seu faro de gol: foram 69 bolas na rede nas duas últimas temporadas. "Estou num grande momento e sei que tenho muito a melhorar", afirmou o jogador de 22 anos após a vitória de sua equipe sobre o Lyon.

No duelo entre Manchester City e Borussia Dortmund, um novato norueguês vem despertando a atenção de muito time grande na Europa. Aos 20 anos, Haaland é alvo de cobiça de clubes poderosos como Barcelona, Real Madrid e Manchester United. E, não por acaso, o atacante do Borussia lidera a tabela de goleadores da Liga dos Campeões com dez gols.

Sobre as comparações com Messi e CR7, o jogador procura ter os pés no chão. "Penso apenas em mim e em melhorar em cada jogo. Não preciso falar de Messi e Cristiano Ronaldo que são, provavelmente, os melhores jogadores da história", disse o jogador ao portal norueguês Dagbladet. Aos 20 anos, Haaland já atingiu a marca de cem gols como profissional.

Os outros confrontos das quartas de final têm: Real Madrid x Liverpool e Porto x Chelsea.

Estadão
Publicidade
Publicidade