0

Desfigurado por baixas, Real tenta conter ímpeto da Atalanta na Liga dos Campeões

Setor ofensivo da equipe italiana será liderado por Luis Muriel e Duván Zapata

24 fev 2021
07h10
atualizado às 07h10
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator

Em condições normais, Atalanta x Real Madrid teria tudo para ser um confronto franco entre o ataque espanhol contra a defesa italiana. Mas os dois times vão exercer papéis invertidos nesta quarta-feira, às 17 horas (de Brasília), em Bérgamo, no jogo de ida das oitavas de final da Liga dos Campeões. Enquanto os espanhóis vão entrar em campo desfigurado, por seguidos desfalques, os italianos terão força total para testar seu eficiente ataque colombiano.

Dono do recorde de 13 títulos da competição europeia, o Real terá como maior baixa nesta quarta Karim Benzema, que assumiu o posto de referência ofensiva da equipe após a saída de Cristiano Ronaldo. O francês teve envolvimento direto em 41% dos gols marcados pela equipe no Campeonato Espanhol até agora. Machucado, vai dar lugar ao brasileiro Vinicius Junior.

E não será o único desfalque no setor. Também estão fora o brasileiro Rodrygo e o meia-atacante belga Eden Hazard. Engrossam a lista os defensores Sergio Ramos, Marcelo, Éder Militão, Dani Carvajal e os meias Federico Valverde e Alvaro Odriozola.

São tantas baixas que o técnico Zinedine Zidane tem a sua disposição apenas 11 jogadores de linha do time principal e precisou recorrer à equipe B para compor o banco de reservas. De acordo com o jornal espanhol Marca, o clube de Madri já soma 40 lesões em seu elenco nesta temporada.

"Estamos focados nos jogadores que temos à disposição e vamos preparar cada um deles para vencer. Sempre vamos a campo para vencer, nunca aceitamos qualquer outro resultado", diz Zidane, ao rebater qualquer questionamento sobre a possibilidade de jogar pelo empate fora de casa.

Apesar do discurso, o treinador pode apostar numa formação mais defensiva, deixando apenas Vinicius Junior no ataque, principalmente porque a defesa será quase toda reserva. Além disso, o Real está escaldado pelas quedas precoces, ainda nas oitavas, nas duas últimas edições da Liga dos Campeões.

Do outro lado, a Atalanta espera surpreender novamente, após registrar sua melhor campanha na competição na temporada passada, ao alcançar as quartas de final. E, mais uma vez, o time italiano pretende mostrar serviço no ataque, sem se preocupar com desfalques.

O setor ofensivo será liderado por Luis Muriel e Duván Zapata, que formam o segundo melhor ataque do Campeonato Italiano, atrás apenas da líder Inter de Milão. Muriel balançou as redes nos últimos nove jogos em que foi titular, incluindo a vitória por 4 a 2 sobre o Napoli, no fim de semana. Zapata soma nove gols no Nacional e mais três na Liga dos Campeões. A dupla tem o apoio do esloveno Josip Ilicic, que costuma surpreender pelas pontas.

O ataque não será o único foco do técnico Gian Piero Gasperini. "Temos que ter muito cuidado porque, mesmo com todos os desfalques, o Real vai montar um time ainda mais alerta e focado na partida", afirma o treinador da Atalanta. "O Real continua sendo uma das equipes mais fortes do mundo."

INVENCIBILIDADE

Se o Real entra em campo nesta quarta sob o peso da tradição e dos títulos, o Manchester City jogará em Budapeste, contra o Borussia Mönchengladbach, no mesmo horário, com o status de time do momento. São 18 vitórias consecutivas, 13 somente neste ano e uma série de 25 jogos sem derrota - a última aconteceu em 21 de novembro, pelo Campeonato Inglês.

Após um início irregular de temporada, o técnico Josep Guardiola parece ter encontrado todas as soluções para os problemas do City, líder disparado do Inglês, com 10 pontos de vantagem sobre o Manchester United.

Não bastasse a grande forma técnica da equipe, Guardiola agora tem o reforço de Kevin De Bruyne, baixa no fim da fase de grupos da Liga dos Campeões. O belga deve se revezar com o alemão Gündogan, maior destaque da equipe na temporada até aqui, na função de "motor" da equipe. No ataque, Gabriel Jesus pode ganhar uma chance nesta quarta.

"O City tem jogadores do primeiro escalão mundial em todas as posições e nós temos a chance de medir nosso futebol contra eles, que são indiscutivelmente o melhor time do mundo", diz o técnico do Borussia, Marco Rose.

Azarão neste confronto, o time alemão ao menos pode se inspirar nos bons resultados da fase de grupos, quando avançou apesar de estar na mesma chave de Real Madrid e Inter de Milão. O momento atual, contudo, não é dos melhores. Apenas o oitavo colocado do Alemão, vem de três tropeços consecutivos.

Estadão
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade