0
Logo do Liga dos Campeões
Foto: Terra

Liga dos Campeões

Com show de Messi, Barcelona atropela Juventus no Camp Nou

12 set 2017
17h42
atualizado às 17h48
  • separator
  • comentários

O Barcelona recebeu a Juventus nesta terça-feira, no Camp Nou, na estreia da Liga dos Campeões. Reencontrando a equipe responsável pela sua eliminação nas quartas de final da última edição do torneio, a equipe blaugrana contou com uma atuação de gala de Lionel Messi  para conquistar uma contundente vitória por 3 a 0 e assumir a liderança do Grupo D.

Tendo de estrear logo contra o rival mais difícil do grupo, o Barcelona mostrou que parece ter superado a saída de Neymar e não se intimidou diante dos algozes da última edição da Liga dos Campeões. Embora os italianos tenham adotado a mesma postura dos últimos confrontos, ou seja, firme retranca, o time liderado por Messi desta vez conseguiu se desvencilhar da forte marcação e construir o resultado.

O duelo também foi marcado pela queda de um longo e surpreendente tabu. Gianluigi Buffon jamais havia sofrido um gol de Lionel Messi, que nesta terça-feira tratou de marcar logo dois. Antes deste jogo, eles haviam se enfrentado três vezes: na final da Liga dos Campeões 2014/15 e nas quartas de final da última edição do torneio, quando o Barça acabou eliminado.

Ambas equipes voltam a entrar em campo no próximo dia 27, quarta-feira, às 15h45 (de Brasília). O Barcelona visita o Sporting, no estádio José Alvalade, em Portugal. Já a Juventus recebe o Olympiacos, em Turim.

O jogo - A Juventus foi ao Camp Nou com uma ideia de jogo muito bem estabelecida. Assim como nos últimos encontrar com o Barça, o time comandado pelo técnico Massimiliano Allegri mostrou um comprometimento tático bastante firme, evitando dar espaços para o ataque catalão. Justamente por isso, a equipe liderada por Messi demorou para chegar com perigo à meta adversária.

Priorizando o contra-ataque, a Juventus tinha Douglas Costa como grande arma. Foi justamente do pé do atacante brasileiro que saiu a primeira boa chance do time italiano, aos oito minutos, quando Dybala arrancou, recebeu em velocidade, invadiu a área e, ao bater cruzado, viu Ter Stegen fazer uma defesa segura. Dois minutos depois foi a vez de Pjanic driblar Busquets e bater rasteiro da entrada da área, forçando o goleiro alemão a trabalhar novamente.

Aos 19 minutos a primeira chance do Barça. Em cobrança de falta, Messi bateu rasteiro na esperança de ver a bola passar enquanto a barreira saltava, porém, o plano não deu certo. No rebote, Suárez chutou de primeira, exigindo boa defesa de Buffon. A partir daí o duelo seguiu morno até os 36 minutos, quando de Sciglio deu um grande presente para Dembelé dentro da área ao tentar o passe. O substituto de Neymar, no entanto, acabou travado ao finalizar.

Quando todos pensavam que o primeiro tempo iria acabar em 0 a 0, Messi chamou a responsabilidade para abrir o placar no Camp Nou. Aos 44 minutos o argentino tabelou com Suárez e, da entrada da área, bateu cruzado, rasteiro, deixando Buffon sem reação. O goleiro da Juventus, inclusive, jamais havia sofrido gol do craque argentino.

Se no primeiro tempo o Barcelona demorou para chegar com perigo, na etapa complementar a história foi bem diferente. Logos aos seis minutos, Messi bateu da entrada da área, carimbou a trave, a bola ainda bateu nas costas de Buffon e quase entrou. Cinco minutos depois, o craque argentino voltou a aparecer. Em jogada pela direita, o camisa 10 mandou para a área na tentativa de encontrar Suárez, a zaga da Juve afastou, e, no rebote, Rakitic bateu firme para ampliar.

Aos 23 minutos Lionel Messi provou que estava em um dia inspirado e voltou a balançar as redes. Recebendo bom passe de Iniesta, o argentino pegou a defesa da Juventus desarrumada, levou para o meio e bateu cruzado da entrada da área, sem chances para Buffon. Já aos 33 minutos foi a vez de Suárez balançar as redes ao aproveitar a sobra dentro da área, no entanto, o árbitro já havia marcado impedimento na jogada.

Nos minutos finais Paulinho ainda recebeu a oportunidade de atuar em um duelo de Liga dos Campeões pela primeira vez na carreira ao substituir Rakitic. O volante brasileiro, no entanto, teve pouco tempo para exibir o desempenho que vem tendo com a camisa da Seleção Brasileira e saiu de campo com uma atuação discreta na importante vitória do Barcelona por 3 a 0.

Gazeta Esportiva Gazeta Esportiva

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade
publicidade