0

Vice-presidente da Itália chama Higuaín de mercenário por saída do Milan

28 jan 2019
10h53
atualizado às 10h53
  • separator
  • comentários

Gonzalo Higuaín parece não ter deixado muita saudade na Itália, após deixar o Milan em transferência rumo ao Chelsea, da Inglaterra. Quem indica o fato é o vice-presidente e Ministro do Interior do país, Matteo Salvini, que descarregou críticas ao argentino, a quem chamou de mercenário, ao depreciar os altos valores incluídos nos contratos de jogadores de futebol na atualidade.

"Os contratos de dois, três, cinco milhões de euros dos jogadores me parecem exagerados e absurdos… e estou contente de que Higuaín tenha saído do Milan porque, do meu ponto de vista, ele se comportou de maneira indigna. Não gosto dos mercenários, espero que Higuaín não volte para o Milan", afirmou, em entrevista concedida à rádio RTL 102,5.

Higuaín deixou o Milan nesta janela de transferências, após chegar ao clube no início da temporada. O atacante pertence à Juventus, a quem o Chelsea investiu cerca de nove milhões de euros por seu empréstimo, que tem duração prevista apenas até junho deste ano. O jogador de 31 anos fez sua estreia oficial pelos Blues neste domingo, em partida contra o Sheffield Wednesday, pela Copa da Inglaterra. O jogo terminou 3 a 0, com dois gols de William e um de Hudson-Odoi.

Salvini, por sua vez, é um político italiano de extrema direita, que compõe o partido chamado Liga. Já foi vereador em Milão e conta com passagens pela Câmara dos Deputados e pelo Parlamento Europeu. Bastante crítico à imigração, o ministro costuma opinar a respeito de futebol e chegou, inclusive, a minimizar as ofensas racistas proferidas pela torcida da Inter de Milão ao zagueiro Kalidou Koulibaly, do Napoli.

Gazeta Esportiva Gazeta Esportiva

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade