4 eventos ao vivo

Negociação de Paquetá foi a segunda mais lucrativa de janeiro

1 fev 2019
07h21
atualizado às 07h21
  • separator
  • comentários

Os maiores lucros da janela de transferências de janeiro de 2019 foram em negociações de jogadores oriundos das categorias de base dos clubes. É o caso dos meias Christian Pulisic e Lucas Paquetá e dos zagueiros Leonardo Balerdi e Diego Lainez, cujas negociações estão entre as dez mais lucrativas do período.

No entanto, os clubes vendedores também lucraram com apostas certeiras. Uma delas foi o atacante Piatek, contratado pela Fiorentina em julho de 2018 por 4,5 milhões de euros e vendido ao Milan em janeiro por 35 milhões. O volante Leonardo Paredes, vendido pelo Zenit ao PSG, também foi uma aposta lucrativa.

Confira a seguir as dez contratações mais lucrativas da janela de janeiro de 2019.

1: Christian Pulisic (Borussia Dortmund >> Chelsea)

A primeira grande negociação da janela de janeiro foi também a maior. Ainda no dia 2, o Chelsea contratou o meia norte-americano Christian Pulisic junto ao Borussia Dortmund por 64 milhões de euros, cerca de R$ 267 milhões na cotação atual. O meia, no entanto, ficará emprestado no clube alemão até o fim da atual temporada.

Além de ser a maior negociação da janela, a venda de Pulisic representou a maior valorização de um jogador. O jogador de 20 anos chegou à base do Borussia sem custos em 2015, gerando lucro de 64 milhões de euros, o valor total da negociação.

2: Lucas Paquetá (Flamengo >> Milan)

Assim como Pulisic, o meia Lucas Paquetá foi mais um jogador oriundo da categoria de base a trazer lucro para seu clube. O jogador de 21 anos, formado e revelado no Flamengo, foi negociado com o Milan no início da janela por 35 milhões de euros, cerca de R$ 146 milhões. O valor da negociação representa o lucro do Flamengo com Paquetá, que chegou à Gávea sem custos.

3: Krzysztof Piatek (Fiorentina >> Milan)

A Fiorentina fez da aposta em Piatek um truque de mestre. A equipe italiana contratou o atacante de 23 anos junto ao Cracóvia, da Polônia, no início da temporada por 4,5 milhões de euros, cerca de R$ 18 milhões. Seis meses depois, Piatek se destacou entre os artilheiros do Campeonato Italiano e foi vendido ao Milan por 35 milhões de euros, cerca de 146 milhões, gerando lucro de 31,5 milhões de euros.

4: Leandro Paredes (Zenit >> Paris Saint-Germain)

Tal como Piatek, o volante Leandro Paredes foi um caso de aposta que deu certo. Em janeiro de 2017, o argentino foi contratado pelo Zenit junto à Roma por 23 milhões de euros, cerca de 96 milhões de reais. Dois anos depois, o clube russo o negociou com o Paris Saint-Germain por 47 milhões de euros, cerca de R$ 196 milhões, gerando lucro de 24 milhões de euros.

5: Dominic Solanke (Liverpool >> Bournemouth)

Cria da base do Chelsea, o atacante Dominic Solanke não teve espaço no clube e chegou ao Liverpool em junho de 2017 sem custos. Um ano e meio depois, o jogador de 21 anos, que também não teve espaço no poderoso ataque do Liverpool, foi vendido ao Bournemouth por 21 milhões de euros, cerca de R$ 87 milhões, valor que também representa o lucro dos Reds na negociação.

6: Amadou Haidara (RB Salzburg >> RB Leipzig)

O jovem meio-campista Amadou Haidara foi uma das primeiras negociações da janela de janeiro — e também uma das mais lucrativas. O jogador de 21 anos, que chegou ao RB Salzburg sem custos em julho de 2017, foi vendido ao RB Leipzig por 19 milhões de euros, cerca de R$ 79 milhões, logo no primeiro dia da janela.

7: Brahim Díaz (Manchester City >> Real Madrid)

Em outra negociação ainda no início da janela, o Real Madrid investiu 17 milhões de euros, cerca de R$ 71 milhões, para contratar o meia Brahim Díaz, sem espaço no Manchester City. O jogador de 19 anos chegou ao City em 2014, em transferência junto ao Málaga, por apenas 350 mil euros, cerca de R$ 1,4 milhão. A negociação gerou lucro de 16,65 milhões de euros aos Citizens.

8: Leonardo Balerdi (Boca Juniors >> Borussia Dortmund)

Na segunda maior negociação da janela envolvendo um clube da América do Sul, o Boca Juniors negociou o zagueiro Leonardo Balerdi com o Borussia Dortmund por 15,5 milhões de euros, cerca de R$ 64 milhões. Como o jogador, oriundo da base, chegou ao Boca sem custos, o valor da transferência foi o lucro total do clube.

9: Anderson Talisca (Benfica >> Guangzhou Evergrande)

O brasileiro Anderson Talisca não conseguiu se firmar no Benfica, mas gerou lucro considerável. Depois de contratá-lo junto ao Bahia por 4,75 milhões de euros, cerca de R$ 19 milhões, o clube português o emprestou ao Guangzhou Evergrande em julho de 2018. Na atual janela, o clube chinês exerceu a opção de compra do jogador e desembolsou 19,2 milhões de euros, cerca de R$ 80 milhões.

A venda do jogador por si só gerou lucro de 14,45 milhões de euros. No entanto, além do pagamento pela contratação, o Guangzhou pagou taxa de 5,8 milhões de euros pelo empréstimo do jogador. Se somada a taxa de empréstimo ao valor da compra, Talisca rendeu 25 milhões de euros aos cofres do Benfica, cerca de R$ 104 milhões, gerando lucro de 20,25 milhões de euros.

10: Diego Lainez (América-MEX >> Bétis)

O zagueiro mexicano Diego Lainez foi mais um jogador fruto de categoria de base que gerou lucro ao clube formador. Cria do América-MEX, o defensor foi vendido ao Bétis por 14 milhões de euros, cerca de R$ 58 milhões, quantia que representa o lucro do clube mexicano na transferência.

Gazeta Esportiva Gazeta Esportiva

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade