PUBLICIDADE

Grupo de 14 clubes da Premier League se posiciona contra criação da Superliga

20 abr 2021 13h05
| atualizado às 13h05
ver comentários
Publicidade

Nesta terça-feira, a Premier League emitiu um comunicado oficial se posicionando de forma contrária a criação da Superliga. A nota informa que a entidade organizadora do Campeonato Inglês, junto da Federação Inglesa de Futebol(FA), se reuniu com os 14 clubes da elite do futebol britânico que ficaram de fora da nova liga para discutir as implicações do anúncio.

A reunião aconteceu sem a presença de Arsenal, Chelsea, Liverpool, Manchester City, Manchester United e Tottenham, integrantes do big six. Os seis clubes são os representantes ingleses entre os 12 clubes fundadores da possível nova competição europeia.

Segundo a Premier League, os 14 clubes que estiveram presente na reunião desta terça se posicionaram contra a criação da Superliga. A liga diz que, em parceria com os atuais investidores da tradicional competição, fará de tudo para impedir que os seis grandes da Inglaterra sigam com a decisão.

"Os 14 clubes presentes rejeitaram, de forma unânime e enérgica, os planos para a competição. A Premier League está considerando todas as ações disponíveis para impedir seu progresso, bem como responsabilizar os acionistas envolvidos de acordo com suas regras. A Liga vai continuar trabalhando com os principais apoiadores, incluindo torcedores, Governo, Uefa, FA, EFL, PFA e LMA para proteger os melhores interesses do jogo e apelar aos clubes envolvidos na competição proposta que cessem imediatamente o seu envolvimento", informa a Premier League em nota oficial.

Na última segunda-feira, o Primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, falou sobre a criação da Superliga e rechaçou a decisão dos principais clubes da Inglaterra. Johnson se reuniu com representantes da Premier League e Federação Inglesa de Futebol e confirmou que o governo não permitiria a criação de uma liga fechada.

De acordo com o jornal inglês 'The Guardin', o político entrará com tudo na briga para frear a criação da Superliga. O Primeiro-ministro deve anunciar um "bomba legislativa", de forma que Arsenal, Chelsea, Liverpool, Manchester City, Manchester United e Tottenham não possam ingressar na nova competição.

Gazeta Esportiva Gazeta Esportiva
Publicidade
Publicidade